Segunda noite de Cine Ceará homenageia a atriz Lilia Cabral 

Filme "Maria do Caritó", protagonizado pela atriz, teve exibição especial no evento

Legenda: Atriz Lilia Cabral, protagonista do filme "Maria do Caritó", foi homenageada e recebeu o troféu Euselio Oliveira.
Foto: Foto: JL Rosa

Após uma movimentada noite de abertura na sexta-feira, o Cine Ceará - Festival Ibero-americano prosseguiu com a festejada programação. Destaque do sábado foi a estreia nacional do longa "Maria do Caritó", de João Paulo Jabur.

Estiveram presentes o diretor, o autor Newton Moreno, responsável pela peça homônima de sucesso; a produtora executiva, Elisa Tolomelli, e a atriz Lília Cabral. A protagonista do filme subiu ao palco para receber a segunda homenagem do Cine Ceará

O troféu Euselio Oliveira foi entregue pelo ator José Loreto. "Quero que o Cine Ceará inspire outros estados", afirmou o convidado. Chamada ao palco do Cineteatro São Luiz, a atriz revelou que gostaria de ter feito mais produções dedicadas ao cinema. 

Na ocasião, Lilian relembrou o cinema que frequentava na infância. "Foi com o cinema que eu comecei. A minha vida só existiria se eu estivesse naquela tela", dividiu a artista sobre o sonhos de infância. Citou as memórias afetivas de filmes estrelados por Marcello Mastroianni. Falou ainda dos mestres Fellini, Mazzaropi. Teve de Dercy Gonçalves a desenhos de Walt Disney.

Dona de inúmeros trabalhos na TV e cinema, a artista comentou a felicidade de ser lembranda pelo Cine Ceará. "Quando olhamos para trás e vêm essas lembranças. Estar aqui e receber essa homenagem neste cinema deslumbrante, nesta cidade, é algo especial", destacou.

Cinema é trabalho

Lilia Cabral reforçou a força da produção "Maria do Caritó". "Estou muito feliz, trazer esse filme de uma autor pernambucano, que começou no teatro e foi para o cinema. Essa pequena caixa de música faz da minha história. O elenco é de amigos", apontou a paulistana.

A.homenageada ressaltou o poder transformador da cultura. "Os governos passam. A arte permanece", concluiu Lilia Cabral. 

Na mesma noite, o primeiro dos sete longas que concorrem ao troféu Mucuripe foi exibido: "Canção Sem Nome" (Peru), de Melina León, que estreou no Festival de Cannes.  

No domingo, a Mostra Competitiva ibero-americana de longa-metragem prossegue com a exibição de "Ressaca", de Patrizia Landi e Vincent Rimbaux. Na sequência, o público  pode conferir a estreia do aguardado longa "Notícias do Fim do Mundo", do cearense Rosemberg Cariry.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?