Representantes do setor de eventos realizam live para reivindicar restrições a categoria

Setor é um dos mais afetados pelas restrições impostas pela pandemia; decreto em vigor voltou a limitar mais as atividades de algumas áreas.

Com a chegada da pandemia, o setor de eventos precisou interromper a prestação de serviços. Um ano depois, a situação pouco mudou e o Ceará bate recorde de diagnósticos positivos para Covid-19. Para tentar conter o número de casos, os decretos ampliam as medidas de distanciamento social, afetando ainda mais a categoria, que já estava com as atividades limitadas.

Na tentativa de rever algumas restrições impostas pelos decretos estaduais, representantes de várias áreas da categoria - músicos, humoristas, ambulantes e cerimonialistas - se reúnem em uma live nesta quarta-feira (3), às 17h, para debater ações que possam reduzir os impactos das medidas de controle na geração de emprego e renda.

Além dos representantes do setor, a transmissão ao vivo também contará com a participação do secretário Executivo de Planejamento e Orçamento,  Flávio Ataliba, membro do Comitê Gestor de Covid do Estado; e do procurador Alessander Sales. A iniciativa é organizada pelo Comitê Multissetorial de Eventos do Ceará (CMEC) e conta com sete convidados. 

“A ideia é uma aproximação tanto com o Ministério Público quanto com o Governo do Estado. Queremos nos adequar, e já estamos nos adequando, mas a gente quer trabalhar. Queremos saber se dá para equiparar, se dá para liberar”, diz Lailtinho, integrante do CMEC e produtor cultural.

Entre as reivindicações do setor, estão a liberação do funcionamento das barracas de praia localizados na Avenida Beira Mar até 19h, com o atual decreto elas só podem funcionar até as 17h por estarem situadas em espaços públicos; isenção do IPTU e ISS dos estabelecimentos da categoria; ampliação do horário de funcionamento dos restaurantes até as 19h; adequação das atividades de bufês com restaurantes para funcionarem no horário permitido pelo decreto; liberação da Feirinha da Beira Mar até as 19h. 

“Sabemos que estamos em uma pandemia. A gente faz o possível para combater isso, segue à risca todos os protocolos, mas, na verdade, as pessoas também precisam trabalhar para se manterem”, completa Lailtinho.

Para reduzir os impactos na categoria, o Governador Camilo Santana anunciou em fevereiro a concessão de um auxílio financeiro de R$1.000,00 para os profissionais do setor, como músicos, humoristas, técnicos de som e de imagem. Com a medida, cerca de 10 mil profissionais da área serão beneficiados com duas parcelas de R$ 500. Além disso, o Governo do Estado também estabeleceu a isenção do pagamento do IPVA em 2021 para veículos registrados em nomes de empresas que fazem eventos ou profissionais autônomos; e um edital para eventos corporativos online, com a destinação de R$4 milhões de reais. 

Serviço

Live “Decreto e o setor de eventos”

Quarta-feira (3), às 17h, no Facebook do Comitê Multissetorial de Eventos do Ceará.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?