Refletindo sobre o corpo ancestral, 21ª Unifor Plástica reúne produções cearenses e nacionais

Abertura da mostra está prevista para 19 de outubro, homenageando Nice Firmeza, Gilmar de Carvalho e Letícia Parente

Legenda: Obra do artista cearense Diego de Santos: artista é um dos participantes da 21ª Unifor Plástica
Foto: Divulgação

Entre o Ceará e o Brasil, múltiplos intercâmbios pela arte. É a partir desse recorte que a Unifor Plástica se projeta em mais um ano como uma das principais vitrines para a apreciação da produção criativa local e nacional.

A exposição tem abertura prevista para o dia 19 de outubro, no Espaço Cultural Unifor. A temática desta 21ª edição do projeto é “Corpo Ancestral”, investigando como os saberes e epistemologias tradicionais e não hegemônicos têm sido reivindicados pela produção artística contemporânea.

Desta vez, o evento contará com três homenagens a grandes figuras do Ceará que fizeram história: a artista Nice Firmeza (1921-2013); o professor, pesquisador e escritor Gilmar de Carvalho (1949-2021); e Letícia Parente (1930-1991), artista representante do primeiro ano da Unifor Plástica, em 1973. A curadoria é assinada por Marcelo Campos.

Núcleos e debates

A mostra estará organizada em torno de três núcleos. O primeiro, “Pós-utopia”, apresenta trabalhos que questionam a ideia de futuro como metáfora do progresso. Conforme o curador, a perspectiva de futuro utópico, que traria respostas para os problemas e fracassos do presente, anda em crise. 

Sob outro ângulo, a mesma perspectiva deixou de fora os saberes tradicionais, acreditando no progresso tecnológico e na extinção de práticas locais.

Por sua vez, o segundo núcleo, homônimo à mostra, apura a produção de subjetividade a partir de corpos divergentes e não normativos. Assim, as obras giram em torno do empoderamento, da fabulação de identidades e da reivindicação dos saberes ancestrais como estratégia de produção de sobrevivência e vitalidade. 

Por último, o núcleo “Naturezas” partirá da ideia de que a divisão entre natureza e cultura, entre o “inato” e o “aprendido”, é uma forma de fazer política, de separar, ordenar, categorizar e distinguir. Em suma, uma mostra pulsante por entre tantos caminhos, sinônimos de pluralidade.


Serviço 
21ª Unifor Plástica
Abertura no dia 19 de outubro de 2021 no Espaço Cultural Unifor (Av. Washington Soares, 1321. Bairro Edson Queiroz). Gratuita

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?