Prêmio de Literatura Unifor divulga lista dos vencedores

Dividida em duas categorias, a premiação inclui a publicação dos trabalhos nas referidas áreas e viagens para os primeiros colocados

Legenda: Cançado Thomé e Simone Pessoa são os vencedores das categorias 'Trabalhos inéditos' e 'Obra inédita', respectivamente
Foto: Divulgação

O Prêmio de Literatura Unifor, anunciado em novembro de 2019,  é uma ação de estímulo à produção literária no ambiente universitário. Os participantes do projeto,  dividido nas categorias Obra Inédita e Trabalhos Inéditos, já podem conferir lista de vencedores, elaborada a partir da avaliação de uma Comissão Julgadora composta por professores de Literatura em Língua Portuguesa.

O vencedor da categoria Obra Inédita terá como prêmio a publicação do original submetido para o concurso em uma tiragem de 400 exemplares, além de passagens aéreas para São Paulo, onde visitará a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin. 

Na categoria Trabalhos Inéditos, 20 participantes selecionados terão seus contos reunidos em uma coletânea impressa com tiragem de 20 exemplares para cada candidato selecionado. O primeiro colocado no ranking elaborado pelo júri também receberá passagens aéreas para conhecer a Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

Ressalta-se que, tendo em vista o período de isolamento social decorrente das ações de prevenção ao novo coronavírus, assim como a suspensão temporária das atividades da Universidade de Fortaleza, a entrega dos livros aos vencedores e o agendamento das viagens do prêmio serão realizados a partir de data ainda a ser definida e comunicada.

Confira a lista de vencedores:

Categoria Obra inédita

Simone Pessoa Pereira Sampaio, pelo livro “Batizada pelo Sol, Festejada pelo Vento: Contos de uma Praça Portugal”.

Categoria Trabalhos Inéditos

Primeiro lugar: Hugo Alexandre Cançado Thomé, pelo conto “Andréa de Dionísio”.

Demais vencedores em ordem alfabética

Alan George Félix Mendonça, por “De um Vermelho Claro”;
Ana May Vieira Santos, por “Brasil Tinho e Dé”;
Ana Paula Antero Lôbo, por “Rumo ao Mar”;
Ana Valeska Maia Magalhães, por “Mamãe”;
Carolina Torquato Maia Gomes, por “Água-de-Colônia”;
Cícero Bôscoly Mangueira de Morais, por “Flores no Campo”;
Felipe de Abreu Fortaleza, por “A Alma”;
Gilvan Silva de Oliveira, por “O Buraco”;
José Cavalcante Fonteles, por “Apólogo em Língua Arruaceira de Sinais”;
José Maria de Carvalho, por “Conto ou Não Conto?”;
José Policarpo de Araújo Barbosa, por “Zé Caminhoneiro”;
Luiz Haroldo Cavalcante Serra Júnior, por “A Invenção do Crediário”;
Magna Maricelle Fernandes Moraes, por “A Coleção”;
Marta Viana Pinheiro Albuquerque, por “Receita de Suspiros”;
Raimundo Ivan de Sousa Melo, por “A Fantástica e Horrenda Defloração de Querubina Ruiz”;
Rosa Maria de Sousa, por “A Terceira Morte”;
Sahel de Sá Roriz Pompeu dos Santos, por “Fundo do Poço”;
Thiago Gerôncio Gomes de Sá, por “Segredos Sussurrados”;
Vera do Nascimento Alves, por “Flor Bela”.