Museus do Dragão do Mar reabrem para visitação nesta quarta-feira (1º); confira novidades

Equipamentos voltam a receber o público depois de passarem por reforma; no roteiro, mostras inéditas e exposição de longa duração restaurada

Legenda: Entre as exposições disponíveis ao público neste momento de reabertura, está “Um Atlas para Hélio Rôla”, lançada virtualmente em março deste ano
Foto: Luiz Alves

O número de equipamentos culturais que retomam as atividades de modo presencial aumenta em Fortaleza. Desta vez, são os museus pertencentes ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC), cuja reabertura ao público acontece a partir desta quarta-feira (1º).

Seguindo todos os protocolos de combate à pandemia do novo coronavírus, os espaços reabrem com até 50% da capacidade de atendimento. A retomada ocorre a partir das 9h30, com novidades – compreendendo mostras ainda inéditas no formato presencial e exposição de longa duração restaurada.

Legenda: Inaugurada há 20 anos no Museu da Cultura Cearense, exposição "Vaqueiros" retorna restaurada ao equipamento
Foto: Luiz Alves

São dois os museus geridos pela Secretaria da Cultura do Ceará, em parceria com o Instituto Dragão do Mar: Museu da Cultura Cearense (MCC) e Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC Dragão). O primeiro trará as exposições “Um atlas para Hélio Rôla” e “Um desvio nem sempre é um atalho”; já o segundo reapresenta a exposição “Vaqueiros”, recentemente renovada.

O acesso aos equipamentos é gratuito, de quarta a domingo, das 9h30 às 12h30 (acesso até as 12h) e das 14h30 às 17h30 (acesso até as 17h). 

Além dos espaços expositivos, será reaberta ao público também a Biblioteca Leonilson, localizada no piso intermediário do MAC Dragão. O espaço disponibiliza consulta a cerca de duas mil publicações nas áreas de Fotografia, Design, Museologia, História da Arte, Arquitetura e Urbanismo, Moda e Arte Contemporânea, entre outras linguagens. 

Museu da Cultura Cearense

De caráter etnográfico – visando fomentar a difusão, fruição e apropriação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará – o Museu da Cultura Cearense (MCC) já sediou mostras de importantes nomes de nossa terra, primando pela produção de conhecimento por meio da relação entre educação formal, não-formal e informal.

Desta vez, o ambiente apresenta novamente ao público a exposição "Vaqueiros", inaugurada há 20 anos na casa, já tendo recebido mais de um milhão de visitantes. Com um cenário que impressiona pelo realismo, a mostra convida os visitantes a uma imersão pelo universo sertanejo a partir de memórias, religiosidade, vida e labuta desse personagem que rasga a célebre paisagem.

Legenda: Memórias, religiosidade, vida e labuta do personagem que rasga a paisagem do sertão está presente na mostra "Vaqueiros"
Foto: Luiz Alves

O MCC está subdividido em três andares, com estrutura física total de cerca de 800 m², contando com rampas para acesso às salas de exposições. Elas são no total de seis, sendo as salas 1 e 2 no piso térreo, as salas 3 e 4 no piso intermediário e as salas 5 e 6 no piso inferior.

Museu de Arte Contemporânea do Ceará

Com mais de mil obras no acervo – de autoria de artistas plásticos brasileiros e estrangeiros – o Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC Dragão) também resguarda peças da Pinacoteca do Estado e do acervo do pintor Antônio Bandeira. O equipamento é gerido por profissionais especializados, responsáveis por todo um trabalho de acondicionamento, manutenção preventiva e curativa, embalagem e desembalagem de obras em trânsito e documentação de cada peça. 

Legenda: Peça "Cidades e Paisagens", da exposição "Um atlas para Hélio Rôla", disponível no MAC Dragão
Foto: Luiz Alves

Nesta retomada da casa, o destaque é a mostra “Um Atlas para Hélio Rôla”. Lançada virtualmente em março deste ano, a exposição estará aberta para visitas presenciais pela primeira vez. Reunindo mais de 300 trabalhos – entre obras que integram o acervo particular do artista e das coleções do MAC Dragão e da Pinacoteca do Estado do Ceará, com apoio da Galeria Multiarte – traz um apanhado sobre os mais de 50 anos de carreira de Rôla, entre desenhos, pinturas, ilustrações, esculturas, xilogravuras, postagens de internet e colagens do multifacetado artista cearense.

Legenda: Mostra “Um desvio nem sempre é um atalho” é fruto da curadoria compartilhada de educadores que compõem o Núcleo Educativo do MAC Dragão
Foto: Luiz Alves

Por sua vez, a mostra “Um desvio nem sempre é um atalho”, também presente no equipamento, é fruto da curadoria compartilhada de educadores que compõem o Núcleo Educativo do MAC Dragão. O recorte apresenta obras de 10 artistas que compõem o acervo do Museu e um painel do Grupo Aranha, nomes como Chico da Silva, Eduardo Eloy, Grupo Aranha, Hélio Rôla, Hudinilson Júnior, Júnior Pimenta, Leonardo Videla, Leya Mira Brander, Paulo Bruscky, Sérgio Pinheiro e Siegbert Franklin, relacionando seus trabalhos a obras presentes em “Um atlas para Hélio Rôla”.

As exposições do MAC Dragão devem permanecer em cartaz até 21 de novembro. 

Cuidados e reformas

Para garantir os cuidados nas dependências dos museus, será aferida a temperatura dos visitantes na entrada, bem como disponibilizado álcool em gel 70% para a sanitização das mãos. Durante toda a permanência nos equipamentos ou nas imediações do Centro Dragão do Mar, o uso de máscara é obrigatório.

Além disso, os circulantes devem manter o distanciamento mínimo de 1,5 metro uns dos outros – salvo casais ou grupo de até quatro pessoas da mesma família, que podem circular juntos. Por sua vez, o percurso pelas salas será orientado por educadores paramentados com equipamentos de proteção individual, devendo o público seguir o fluxo unidirecional indicado. A higienização dos espaços também será intensificada.

Os museus estavam fechados desde fevereiro do ano passado, quando teve início a reforma que contempla também outros espaços do Dragão do Mar – com reparos na pintura externa e em áreas internas, recuperação das estruturas de metal (coberta e passarelas) e a impermeabilização do corredor de circulação.

Desde esse período, uma múltipla programação virtual passou a ser ofertada nos canais de comunicação dos equipamentos e do Dragão. A reforma estrutural teve o investimento na ordem de R$ 4.421.929,8 milhões.

 

Serviço
Reabertura do Museu da Cultura Cearense e do Museu de Arte Contemporânea do Ceará
Nesta quarta-feira (1º), a partir das 9h30, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema). Funcionamento: De quarta a domingo, das 9h30 às 12h30 (acesso até 12h) e das 14h30 às 17h30. Agendamentos de grupos de até 12 pessoas via e-mail: agendamentomuseus.cdmac@idm.org.br. Mais informações: (85) 3488.8621 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?