Mulheres barbeiras: cearenses destacam-se na profissão

Renata Viana, Cristina Santiago e Dany Silva são exemplos de mulheres que fazem atendimento de beleza voltado para o público masculino

Foto: FOTO: MÁRCIO SILVESTRE

Cortes e barbas bem trabalhados são visuais cada vez mais adotados por homens que se identificam com looks modernos e estilosos. Graças ao crescimento no setor de barbearias e à atuação de mulheres na profissão, os serviços destinados a esse público estão ainda mais acessíveis.

Legenda: Dany Silva apresenta o corte com um jogo fafe, no qual o narvalho e o zero vão até próximo do topo da cabeça. muito procurando pelo público mais jovem. A barba é ralinha e fina

Apesar de o trabalho ser realizado na grande maioria das vezes por homens, as cearenses Renata, Cristina e Dany, a exemplo de muitas outras brasileiras, dão show de profissionalismo e habilidade com as máquinas e navalhas.

Renata Viana, 32 anos, é natural de Fortaleza. Dos oito anos de experiência profissional na área da beleza, quatro deles foram dedicados ao atendimento exclusivo ao público masculino.

Legenda: o crop, disfarça as entradas na parte superior. O corte é ultramoderno. Por Renata barbeira
Foto: FOTO: ANTHONY TELES

Filha de cabeleireira, desde a adolescência Renata testava suas habilidades produzindo a mãe, a irmã e as amigas. Aos 18 anos, ela entrou no mercado de trabalho. Os serviços de beleza, porém, passaram, a ser realizados somente nas horas vagas.

Um dia, depois de sair de um desses empregos, Renata teve a ideia de fazer o curso de cabeleireira. A moça percebeu naquele momento a oportunidade de retorno financeiro fazendo o que gosta.

Legenda: corte clássico, pompadour estilo oldschol. Ideal para homens que gostam do tradicional. Por Renata Barbeira
Foto: FOTO: ANTHONY TELES

A partir disso, especializou-se como cabeleireira e depois se tornou barbeira. No início, atuou em Fortaleza, mas, desde 2016, ela atende ao público masculino no seu próprio espaço, localizado em Juazeiro do Norte.

Ao lado do marido Anthony Teles, natural da cidade do Crato, Renata é pioneira na região. No começo da carreira, ministrava cursos profissionalizantes. Atualmente, ela faz workshops de aperfeiçoamento profissional, em diferentes cidades do Ceará, a exemplo da capital cearense, de Maracanaú e Sobral.

Legenda: O corte mid fade, com freestyle,feito por Renata Barbeira deixa a cabeça mais quadrada e comprida, para homens bem modernos
Foto: FOTO: ANTHONY TELES

Determinação

Dos desafios financeiros à aceitação num mercado de trabalho predominantemente ocupado por homens, Renata enfrentou todos. Nos cursos que ministra, a profissional transmite a ideia de que o corte não é apenas diminuir o tamanho do cabelo do cliente, mas desenvolver por meio de técnicas um estilo e fazer com que a pessoa se sinta satisfeita.

Renata confessa que ingressar nesse universo foi algo desafiador. "Principalmente porque levanto mesmo a bandeira da mulher presente em áreas predominantemente masculinas e eu fico muito feliz com o reconhecimento".

Legenda: O modelo Kevin Costa aposta no estilo taper. Nesse corte Dany fez uma graduação leve, a partir do zero alto. As risquinhas estão em alta na preferência do público jovem

Nara Daniela Silva, 29 anos, é outra cearense apaixonada pelo que faz. "Sempre admirei o trabalho da minha mãe como cabeleireira, mas meus olhos brilhavam mesmo quando eu via um bom corte masculino", revela Dany Barbershop, como é conhecida.

Nos seis primeiros anos de especialização, Dany atendia na sala da de casa, e só há quatro anos conseguiu montar sua barbearia.

Legenda: Dany Silva diz que esse é um corte mid fade navalhado que o empresário Fabiano Coelho prefere usar mais marcado

Semelhante a Renata, Dany também sentiu certo receio por parte dos clientes, simplesmente pelo fato de ser mulher, mas quem experimentava, voltava. Hoje, o trabalho dela é bastante respeitado.

"Alguns até confessavam a insegurança no primeiro corte, mas observavam meu jeito de pegar na tesoura e na navalha, e no segundo corte já estavam tranquilos".

Legenda: Mais uma sugestão de corte fade com mechas coloridas feitas no aerógrafo realizado pela barbeira cearense Dany Barbershop

Para Cristina Santiago, 37, barbeira há quatro anos, a aceitação de mulheres na profissão até hoje não é 100%. "Alguns admiram, outros preferem cortar com homens. "Os meus clientes são fiéis e a confiança no meu trabalho se expande à confidência pessoal".