'Deserto Particular' é escolhido para representar o Brasil no Oscar 2022

O filme sobre um policial em busca de amor perdido, de Aly Muritiba, foi premiado na última edição do Festival de Veneza

Legenda: O ator Antonio Saboia, do também premiado "Bacurau, é o protagonista do longa
Foto: Divulgação

Foi escolhido, nesta sexta-feira (15), o filme que representará o Brasil na disputa por uma vaga na categoria de Melhor Filme Internacional no Oscar 2022. "Deserto Particular", dirigido por Aly Muritiba, conquistou os votantes da Academia Brasileira de Cinema, responsável pela seleção das obras nacionais para compor a lista de indicados ao maior prêmio da indústria cinematográfica.

Premiada no Festival de Veneza deste ano, a película venceu o prêmio do público da Mostra Venice Days, e fará a estreia brasileira na 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, com início na próxima semana. Em 25 de novembro, chega aos cinemas de todo o País pela Pandora Filmes.

Assista o trailer de "Deserto Particular"

No enredo, conhecemos um policial, interpretado por Antonio Saboia (de "Bacurau), afastado do trabalho depois de cometer um erro. Ele mora em Curitiba com um pai doente, de quem cuida com devoção. 

Daniel fala pouco, e sorri menos ainda. O único motivo de alegria é a misteriosa Sara, uma moça que mora no sertão da Bahia, com quem ele se corresponde por aplicativo de celular. O desaparecimento súbito da mulher faz com que o policial resolva cruzar o país em busca de seu amor. 

Um filme de amor num país dividido

Segundo o diretor do longa, "Deserto Particular" é um filme de amor feito num país conflagrado, dividido, que vem sido regido sob o discurso do ódio. "Ter, nesse contexto histórico, um filme de amor como o escolhido para representar nosso país é uma bela mensagem, um belo sinal mandado pelos representantes da Academia Brasileira de Cinema", festeja Aly Muritiba.

No ano passado, o Brasil concorreu a uma vaga no Oscar com o documentário "Babenco: Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou", de Barbara Paz. Contudo, não conseguiu passar pela fase eliminatória. 

Legenda: Segundo o diretor do longa, "Deserto Particular" é um filme de amor feito num país conflagrado, dividido, que vem sido regido sob o discurso do ódio
Foto: Divulgação

A última vez que uma produção brasileira foi indicada à Melhor Filme Internacional aconteceu em 1999, quando a categoria ainda se chamava Melhor Filme em Língua Estrangeira. O feito coube a "Central do Brasil", de Walter Salles, que também obteve uma indicação a Fernanda Montenegro como Melhor Atriz.

A obra foi desbancada pelo italiano "A Vida É Bela", enquanto Gwyneth Paltrow conquistou o Oscar de Melhor Atriz pela performance em "Shakespeare Apaixonado".

Confira todos os filmes já selecionados para o Oscar 2022 e os seus respectivos países:

Albânia: Three Lions Heading to Venice, Jonid Jorgji;

Alemanha: I'm Your Man, Maria Schrader;

Armênia: Should the Wind Drop, Nora Martirosyan;

Áustria: Great Freedom, Sebastian Meise;

Bulgária: Fear, Ivaylo Hristov;

Camboja: White Building, Kavich Neang;

Canadá: Drunken Birds, Ivan Grbovic;

Colômbia: Memória, Apichatpong Weerasethakul;

Croácia: Tereza37, Danilo Serbedzja;

Coreia do Sul: Escape from Mogadishu, Ryoo Seung-wan;

Equador: Submersible, Alfredo León León;

Eslováquia: 107 Mothers, Péter Kerekes;

Eslovênia: Sanremo, Miroslav Mandic;

Espanha: El Buen Patrón, Fernando Leon de Aranoa;

Finlândia: Compartment No. 6, Juho Kuosmanen;

França: Titane, Julia Ducorneau;

Geórgia: Brighton 4th, Levan Koguashvili;

Grécia: Digger, Georgis Grigorakis;

Holanda: Do Not Hesitate, Shariff Korver;

Hungria: Post Mortem, Péter Bergendy;

Irlanda: Shelter, Seán Breathnach;

*Israel: Let There Be Morning, Eran Kolirin;

Japão: Drive My Car, Ryusuke Hamaguchi;

Kossovo: Hive, Blerta Basholli;

Macedônia do Norte: Sisterhood, Dina Duma;

Malawi: Fatsani: A Tale of Survival, Gift Sukez Sukali;

Malta: Luzzu, Alex Camilleri;

Marrocos: Casablanca Beats, Nabil Ayouch;

Peru: Powerful Chief, Henry Vallejo;

Polônia: Leave no Traces, Jan P. Matuszynski;

Quirguistão: Shambala, Artykpai Suyundukov;

República Checa: Zátopek, David Ondrícek;

Sérvia: Oasis, Ivan Ikic;

Somália: The Gravedigger's Wife, Khadar Ahmed;

Suíça: Olga, Elie Grappe;

Taiwan: The Falls, Chung Mong-hong;

Tunísia: Golden Butterfly, Abdelhamid Bouchnak;

Ucrânia: Bad Roads, Nataliia Vorozhbyt

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?