Centenário de Nice Firmeza é celebrado por equipamentos culturais cearenses; confira programação

Entre as atividades, estão lives, exibição de documentário e exposição virtual sobre o Minimuseu Firmeza, recanto maior da artista

Legenda: Nice Firmeza deixou uma extensa herança de trabalhos, afetos e criatividade, tudo recuperado por meio de atividades culturais em vista do centenário da artista
Foto: Lucas de Menezes

Comemorado neste domingo (18), o centenário de nascimento de Nice Firmeza (1921-2013) volve os olhares para a singular atuação da artista cearense no panorama cultural alencarino. Dedicada sobremaneira à pintura, ao bordado e à culinária, a doce mulher de expressivos olhos e farto sorriso deixou uma extensa herança de trabalhos, afetos e criatividade.

Um legado recuperado por diversos equipamentos culturais a partir de atividades que estreitam a relação do público com a vida e a obra de Nice. Festejando os 100 anos de sua presença entre nós, estão programadas realização de lives, exibição de documentário e exposição virtual contemplando detalhes do Minimuseu Firmeza, querido recanto dela e do marido – o pintor, escritor, ilustrador e crítico de arte Estrigas (1919-2014). Confira:

Biblioteca Pública Estadual do Ceará (BECE)

O equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult-CE), gerido em parceria com o Instituto Dragão do Mar, celebra a data com a live “Nice Firmeza, 100 anos”. O momento acontece neste sábado (17), às 16h, no canal da instituição no YouTube.

Participarão da conversa o jornalista e escritor Flávio Paiva; a historiadora e coordenadora de projetos do Minimuseu Firmeza,  Paula Machado; o artista visual Carlos Macêdo; e a gestora cultural e atual diretora-presidenta do Instituto Dragão do Mar, Rachel Gadelha. O bate-papo contemplará, de forma afetiva, a vida, a obra e o legado de Nice.

Cineteatro São Luiz

A casa festeja a efeméride com a exposição virtual de tema “Minimuseu Firmeza – Casa de arte e afeto no Mondubim”. A mostra reúne vídeos e fotografias do espaço e obras digitalizadas dos artistas e eternos anfitriões, Nice e Estrigas Firmeza, ao lado de trabalhos de Aldemir Martins, Descartes Gadelha, Hélio Rola, Heloysa Juaçaba, Raimundo Kampos, Vando Figueiredo, Zenon Barreto e Zé Tarcísio.

Presente na galeria virtual do Cineteatro, disponível no site da instituição, o material apresenta o incontornável tesouro cultural contido na antiga casa dos artistas a partir de quatro núcleos: “A Nice”, “O Estrigas”, “Os Amigos” e “A Casa”. Todo o trabalho tem curadoria de Rodrigo Gadelha Costa, jornalista formado na Universidade de Fortaleza (Unifor) que atuou como mediador e educador em diversas exposições no Espaço Cultural Unifor, além de ter participado do núcleo de comunicação do Minimuseu Firmeza deixado por seu tio-avô, o próprio Estrigas.

Legenda: Roteiro de atividades propõe passeio por alguns dos feitos e curiosidades sobre a trajetória de Nice Firmeza
Foto: Adriana Pimentel

Sobrado Dr. José Lourenço

A programação do equipamento envolve publicações nas redes sociais ao longo do dia 18 referentes a diversos momentos em que Nice passou pelo Sobrado. Além disso, será rememorada uma homenagem feita à artista no centenário de nascimento de Estrigas, e também outros momentos vivenciados pela equipe da casa com ela no Minimuseu Firmeza. “Será um dia dedicado a ela”, situa Germana Vitorino, diretora do equipamento.

Museu da Cultura Cearense

A instituição promoverá um encontro virtual na próxima segunda-feira (19), a partir das 16h, no canal do Dragão do Mar no Youtube, após a exibição do documentário “NicEstrigas - Afeto e Arte”. O trabalho, assinado pelo fotógrafo e documentarista Tibico Brasil, conta com relatos do casal de artistas colhidos entre 2012 e 2013, detalhando sobretudo o contato de ambos com a arte e a natureza.

Na conversa – mediada por Valéria Laena, gestora do MCC – estarão presentes os curadores e pesquisadores Patrícia Veloso e Bené Fonteles. Ambos, em 2013, lançaram no museu uma exposição homônima ao documentário, com obras de Nice e Estrigas. No bate-papo, eles destacarão as produções individuais de Nice – bordados, pinturas e culinárias – bem como a relação que ela e Estrigas desenvolveram com a arte e a cidade. 

Ao longo do mês de julho, o Museu trará ainda no seu perfil no Instagram conteúdos relacionados às receitas criativas de Nice Firmeza. Elas integram as pesquisas realizadas pelo Comida Ceará, projeto do equipamento que há 10 anos busca mapear e registrar a dinâmica alimentar cearense.

Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (Mauc-UFC)

Em celebração ao centenário de Nice Firmeza, a instituição lançou recentemente o 4º Caderno de Colorir, com homenagens à artista. O trabalho está disponível para download no site do Mauc. Também será lançado, em breve, um vídeo no perfil do museu no Instagram sobre Nice, além de postagens nessa mesma linha nas redes sociais do equipamento (instagram e facebook), a partir da próxima terça-feira (20).

Por fim, será realizada uma live como parte do evento “Férias no Mauc, 5ª Edição”, contemplando o legado de Nice. A transmissão ocorrerá na segunda-feira (19), a partir das 15h, por meio do canal do museu no YouTube. Participarão do momento a bordadeira e professora Lúcia Ferreira; a jornalista e mestranda em História, Luiza Helena Amorim; a historiadora  e coordenadora de projetos do Minimuseu Firmeza, Paula Machado; e a gestora cultural e atual diretora-presidenta do Instituto Dragão do Mar, Rachel Gadelha

Durante o diálogo, as convidadas abordarão diferentes facetas da vida de Nice e de seu legado nos campos artístico e museológico no Ceará.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?