Cariri aposta nas casas e oficinas dos mestres da cultura como museus orgânicos

Pelo menos quatro municípios da região Sul do Estado abrigam os equipamentos, que visam a preservação da memória e a autossustentabilidade dos mestres

Legenda: A casa do Mestre Antônio Luiz, em Potengi, expõe as memórias do Reisado de Caretas que ele coordena na região
Foto: FOTO: ANTÔNIO RODRIGUES

O convite está feito. Abra a porta, entre na sala, puxe uma cadeira e converse. Esta é a proposta dos Museus Orgânicos em atividade na região do Cariri cearense. Casas e oficinas de mestres da cultura transformam-se em lugares de convívio para um público maior, curioso, sedento pelas histórias daqueles que transmitem o saber popular por meio de diferentes expressões. 

Nada de muita modernidade. É olho no olho, ouvido atento e diálogo solto com figuras como Espedito Seleiro, Françuli, Antônio Luiz e outros mais. O projeto, desenvolvido pelo socioeducador Alemberg Quindins em parceria com o Sesc, pretende abrir 16 museus nesse formato na região.

Inclusive, entre os dias 6 e 9 de agosto, três equipamentos serão inaugurados, durante seminário internacional que inicia campanha para tornar Chapada do Araripe Patrimônio da Humanidade. São eles: o Museu Casa do Mestre Nena, em Juazeiro do Norte; o Museu Casa do Mestre Raimundo Aniceto, no Crato e o Museu Casa Oficina de Dona Dinha, em Nova Olinda. 

Logo abaixo, listamos alguns destes museus vivos já em funcionamento e espalhados por municípios como Nova Olinda e Potengi. 

 

Fundação Casa Grande 

Foto: FOTO: ANDRÉ COSTA

Projeto-piloto para todos os demais museus orgânicos, a casa abriga um acervo de materiais arqueológicos e artefatos indígenas da região do Cariri. A edificação azul, localizada no Centro de Nova Olinda, é administrada por crianças e jovens de até 25 anos de idade, que atuam como os próprios guias e gestores das diversas áreas de trabalho da Fundação, desde a DVDteca, loja de artesanato, biblioteca, gibiteca e discoteca. 

Serviço 

Endereço: Av. Jeremias Pereira, 444 - Centro, Nova Olinda  

Telefone: (88) 3546 -1333 
 

Museu do Ciclo do Couro (Espedito Seleiro) 

Foto: FOTO: HÉLIO FILHO

Inaugurado em dezembro de 2014, o lugar reúne ferramentas de trabalho e peças, a exemplo dos gibões, sandálias e bolsas, que integram o acervo pessoal do artesão Espedito Veloso de Carvalho, o mestre Espedito Seleiro. A iniciativa também envolve um trabalho de pesquisa, que insere a história do ciclo do couro, desde a Bahia, vindo da Casa da Torre, de Garcia D´ávila, Oeiras, no Piauí, passando pelo Cariri.  

Serviço 

Endereço: Rua Monsenhor Tavares, 318, Centro, Nova Olinda 

Telefone: (88) 3546-1432 

 

Museu Casa de Antônio Jeremias 

Foto: FOTO: REPRODUÇÃO

A residência do homem responsável pela emancipação política do munícipio de Nova Olinda, Antônio Jeremias Pereira, foi aberta à visitação após restauração, em abril de 2017. O lugar, palco do movimento emancipatório, hoje abriga fotos, documentos, utensílios pessoais e mobiliários domésticos que fizeram parte da história da família. Seu acervo está distribuído em três salas e é administrado pela filha de Antônio, Aldenora Jeremias. 

Serviço 

Endereço: Rua Jeremias Pereira, 291, Nova Olinda 

Telefone: (88) 9 9450-8771 

 

Museu Casa do Mestre Antônio Luiz 

Foto: FOTO: ANTÔNIO RODRIGUES

Vestimentas, fotografias, instrumentos e tudo que contribuiu para a criação do grupo Reisado de Caretas de Couro de Potengi compõem o acervo deste museu orgânico de Mestre Antônio Luiz, inaugurado em 2018. Com referências diferenciadas em relação a outros reisados, destacam-se o Velho Bacurau e a Velha Quitéra, acompanhados pelos caretas, um boi, um urubu, uma burrinha, um jegue, um cavalo, um carneiro e uma ema. 

Serviço 

Endereço: Sítio Sassaré, nº 23, Potengi 

Telefone: (88) 9 9277-1013 

 

Museu Oficina do Mestre Françuli 

Foto: FOTO: JR PANELA

Responsável pela fabricação de aviões de flandre e zinco, Mestre Françuli é o proprietário do lugar inaugurado em 2018 e dividido entre a oficina, a lojinha e uma exposição, que mais parece o céu, de tão azul. No percurso, além de fotografias, aviões em miniatura de diferentes modelos e ferramentas de trabalho, o visitante pode se deparar ainda com uma réplica do mestre feita por artesãos do Centro Cultural Mestre Noza. 

Serviço 

Endereço: Rua Beco do Françuli, S/N, Potengi  

Telefone: (88) 9946.29887