Bootcamp: a atividade física sensação na Europa chega a Fortaleza

Modalidade fitness, o bootcamp promete trabalhar o corpo de forma geral em apenas 45 minutos. A novidade já pode ser praticada em Fortaleza

Legenda: O exercício K12 é a junção de três movimentos: swing, remada e o unilateral push press
Foto: Fabiane de Paula

Como o próprio nome sugere, o bootcamp, ou campo de treinamento, é uma releitura das aulas aplicadas no treinamento militar. Segundo o educador físico Tom Pontes, a modalidade é realizada em formato de circuito e tem como objetivo trabalhar de maneira intensa o condicionamento físico e a musculatura.

Para quem busca resultado estético, o profissional recomenda manter foco na queima de gordura e na melhoria da disposição física. O treino é concluído em 45 minutos.

Legenda: Os treinos no remo melhoram o condicionamento cardiorrespiratório e a resistência muscular em geral
Foto: Fabiane de Paula

"Esse tempo é dividido por estações e exercícios com sequências intensas, a exemplo de corrida, remada, funcional, levantamento de peso e outros", destaca o educador físico Tom Pontes.

As aulas contemplam a preparação inicial com mobilidade das articulações, alongamento da musculatura e aquecimento específico. Os cuidados proporcionam segurança física ao aluno na fase principal do treino, realizado em giros pelas estações.

De acordo com Tom Pontes, dependendo das condições físicas e da proposta de treino do praticante, os exercícios e o tempo, que varia de dois a quatro minutos, em cada estação, são modificados.

Legenda: A estação de Levantamento de Peso Olímpico (LPO) trabalha força e potência muscular
Foto: Fabiane de Paula

Conforme o educador físico, uma programação do método bootcamp possibilita treinos diários, com descanso da musculatura de forma adequada e garantia de resultado satisfatório. "No caso de alunos que não têm disponibilidade para treinar todos os dias, também podemos adaptar à programação".

Vantagem

A frequência cardíaca do praticante, 100% monitorada na hora do treino, é outro diferencial da modalidade esportiva apontado pelo especialista. O recurso torna a aula mais segura.

Dessa maneira, conseguimos observar como está o esforço de cada um. Também quando percebemos que o aluno está há muito tempo trabalhando em frequência alta, o monitor nos permite direcioná-lo para reduzir a intensidade. Ou seja, além da segurança, a tecnologia favorece maior rendimento no treino", ressalta Pontes.

Apesar de ser uma atividade física recém-chegada em Fortaleza, a advogada Débora Belchior, 30 anos, acostumada a praticar outras modalidades de treino avançadas, já experimentou e aprovou o bootcamp.

O que mais chamou atenção da nova adepta foi o mix de modalidades em uma única aula. "Achei muito interessante essa mescla de atividades, principalmente por conta do dinamismo proporcionado pelo circuito. Algumas pessoas comentavam que o bootcamp era uma repaginação do crossfit, mas posso garantir que o treino é bem diferente do que costumo realizar nas aulas de crossfit", diz Débora.

Legenda: Na calistenia, os exercícios são realizados com o peso do próprio corpo e podem ser em pé ou em solo
Foto: Fabiane de Paula

Comparação

Em relação à semelhança das modalidades, o educador físico explica que o bootcamp não trabalha a ginástica artística, prática comum do crossfit. O Levantamento de Peso Olímpico (LPO) é o único exercício realizado nos dois formatos. "Na verdade, o LPO não tem relação apenas com o crossfit, ele é um esporte olímpico e, na nossa modalidade, a aula acontece em circuito, formato não utilizado na outra metodologia", afirma.

O cronograma das aulas de bootcomp é realizado antecipado, com periodicidade mensal e, em comum acordo com os demais educadores. Esta é a maneira utilizada pela equipe para montar e estruturar os treinamentos dos meses seguintes.

Nossa programação é feita por profissionais e com embasamento científico para que o treino seja realmente eficaz para cada um", destaca.

Por ser muito avançado o treino, o educador físico não recomenda para pessoas com doenças crônicas, degenerativas e com restrições alimentares médicas. "Podemos até adaptar os exercícios, mas a experiência será diferente. Para crianças e adolescentes abaixo de 14 anos não indicamos a prática do bootcamp".