Segurança, saúde e educação: quais temas devem nortear a disputa eleitoral no Ceará em 2022

O Diário do Nordeste ouviu especialistas e analisou as postagens recentes dos pré-candidatos ao Governo do Estado

Escrito por Luana Severo,

PontoPoder
Policiais militares atravessam de motocicleta espelho d'água em comunidade de Fortaleza.
Legenda: Segundo cientistas políticos, a segurança pública do Estado deve ser o tema central do debate eleitoral neste ano.
Foto: José Leomar

Embora os pré-candidatos às eleições deste ano ainda não estejam autorizados pela Justiça Eleitoral a pedir votos, é possível aproveitar este momento da corrida eleitoral para se apresentar com calma aos eleitores e se posicionar a respeito das demandas mais caras à população, como segurança, saúde, educação, desigualdade social e retomada econômica pós-pandemia de Covid-19.

Os pré-candidatos ao Governo do Ceará, até o momento, são a comunicadora e ativista Adelita Monteiro (Psol), o deputado federal licenciado Capitão Wagner (União Brasil), o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão (PDT), o ex-prefeito da Capital, Roberto Cláudio (PDT), a governadora Izolda Cela (PDT) e o deputado federal Mauro Filho (PDT).

Alguns desses temas já vêm sendo pincelados nas redes sociais dos pré-candidatos — uns de forma mais escancarada, outros, mais discretos. A cautela de alguns em se posicionar é porque a metade dos pré-candidatos ocupa cargos públicos e concorre internamente no PDT pela vaga de candidato ao Governo.

Mauro Filho, por exemplo, ainda atua como deputado federal, enquanto Izolda Cela assumiu recentemente o comando do Ceará no lugar de Camilo Santana (PT) — que deve se lançar ao Senado — e Evandro Leitão preside o Legislativo estadual.

Essa condição faz com que esses pré-candidatos, assim como o também pedetista Roberto Cláudio, sintam-se ainda reprimidos em compartilhar amplamente suas ideias para o Governo, uma vez que o projeto de campanha do postulante do partido deve representar todo o grupo governista — inclusive a base — e não um só candidato.

A reserva dos pré-candidatos do PDT dá margem para Wagner e Adelita tomarem a dianteira na disputa, já que, por terem sido apresentados oficialmente pelo União Brasil e pelo Psol como os pré-candidatos das legendas, eles têm mais liberdade para se expressar.

Mas, como todos eles estão se posicionando? Será que os temas que estão abordando nas redes sociais atualmente serão os mesmos que nortearão o debate eleitoral nos próximos meses? O Diário do Nordeste analisou os perfis dos pré-candidatos e ouviu cientistas políticos sobre o assunto.

Segurança pública como tema central

Para os cientistas políticos ouvidos para esta reportagem, ter Capitão Wagner como o principal pré-candidato de oposição na disputa implica, necessariamente, em ter a segurança pública como tema central do debate, por mais que, nos últimos pleitos, ele tente se reposicionar perante o eleitorado como um pré-candidato "plural".

A questão da criminalidade é um aspecto central dessa eleição, porque o principal representante da oposição será Capitão Wagner, que, além de especialista no tema, acumula críticas à atuação do Governo no que concerne à segurança pública".
Carla Michele Quaresma
Cientista política e professora universitária

O cientista político e professor universitário Emanuel Freitas também acredita que Wagner deve apostar nos índices de insegurança e no desgaste da Polícia Militar com o Governo para tentar encurralar o candidato da situação. "A presença dele (Wagner) traz essa questão, que ele tentará explorar com os índices elevados de criminalidade, de violência urbana, de desgaste da PM. O (candidato do) Governo tentará explorar os investimentos (feitos na área)", aposta.

O tema está em alta no debate público, principalmente porque, desde o ano passado, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi instalada na AL-CE para investigar o possível envolvimento de associações militares no motim de policiais ocorrido, em 2020, no Ceará. O trabalho, que respinga diretamente em Capitão Wagner e seus apoiadores, e que deve ser concluído pelos parlamentares nos próximos meses, tem motivado uma série de embates entre base e oposição.

Covid-19 e Educação

Outro tema que, embora não esteja sendo tão explorado nas redes sociais dos pré-candidatos, deve nortear os debates, de acordo com os especialistas, é o enfrentamento à pandemia de Covid-19 no Ceará. Exceto por Adelita, que não tinha cargo público à época das três primeiras ondas, todos têm contas a prestar com a população no que diz respeito ao tema.

"De forma positiva, propositiva, o candidato ou a candidata do (ex-governador) Camilo vai puxar para as medidas de saúde, do enfrentamento à Covid-19 (no Estado e na Capital)", aponta a cientista política Paula Vieira.

A especialista também acredita que, se for Izolda a candidata escolhida à reeleição, a educação também deve ser bem explorada pela base.

"A educação básica do Ceará foi destaque nacional e internacional, sobretudo, a partir da experiência de Sobral, o que pesa muito para o legado do grupo Ferreira Gomes", entende Emanuel Freitas.

Contudo, nas redes sociais, Capitão Wagner também tem tentado tomar para si o tema. Em visita a Sobral, berço político dos irmãos Cid e Ciro Gomes, mandatários do PDT, o pré-candidato mencionou a chamada "Geração Nem Nem", que nem estuda e nem trabalha, e prometeu "uma transformação digital da educação", partindo de Sobral, se eleito.

Costumes

Forte no debate político nacional, especialmente desde as eleições de 2018, a pauta de costumes não deve ter tanta relevância no Ceará, segundo os cientistas políticos.

"Tratando de candidatos que apresentam posicionamentos muito neutros em relação a essas questões (de costumes), não acredito que será uma pauta relevante no Estado. Acredito, realmente, que prevaleçam os debates acerca da segurança e da utilização dos recursos públicos", reforça Carla Michele.

Paula também entende que o tema está mais atrelado à disputa presidencial. "Sinceramente, acho que, no Ceará, não tem apelo forte. A segurança acaba sendo mais", diz.

Emanuel é o único que acredita que o assunto pode acalorar a disputa. "Deve entrar nessa eleição como já entrou na de 2020, com a discussão sobre a suposta perseguição à igreja por parte do Governo do PDT e da esquerda em geral. (...) A pauta de costumes entrará pelo entorno do Wagner. Os bolsonaristas estão todos lá, com ele, e vão trazer à tona fantasmas de ideologia de gênero, de perseguição ao cristianismo", comenta.

Saiba quais temas já estão sendo debatidos pelos pré-candidatos
 

Adelita Monteiro


Em fevereiro deste ano, o diretório estadual do Psol oficializou o nome da comunicadora Adelita Monteiro como a pré-candidata do partido ao Governo. À época, a sigla argumentou que a escolhida deve estimular debates programáticos que resultem em propostas concretas, tendo como eixo principal o combate às desigualdades sociais.

Do meu lugar de mulher, mãe de dois bebês, cria da periferia, com pouca grana e muita vontade de transformar esse mundão de meu Deus, falo do orgulho de ver meu partido aprovar paridade nas candidaturas proporcionais"
Adelita Monteiro
Pré-candidata ao Governo do Ceará pelo Psol
.

Nas redes sociais, Adelita privilegia se posicionar sobre pautas nacionais como a privatização da Petrobrás, as denúncias que envolvem a família do presidente Jair Bolsonaro (PL) e a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). No entanto, em postagens específicas, a pré-candidata aborda a violência contra a mulher, o combate à criminalização de jovens em situação de vulnerabilidade e o combate à fome e à desigualdade.

Capitão Wagner


Veterano na disputa pelo Governo, o principal pré-candidato da oposição aproveita este momento para apresentar aos seguidores suas propostas para o Estado. Nas redes sociais, o deputado federal licenciado publica denúncias e sugestões para as áreas de educação, desenvolvimento social e econômico e segurança pública, principalmente.

Nos ataques ao grupo governista, Wagner tem, inclusive, tentado correlacionar esses temas. Numa dessas postagens, disse:

Sonho em viver num Ceará sem medo. Quando falo 'sem medo', não é só por conta da violência, não. Vejo o medo no olhar do empresário que não quer investir, abrir um novo negócio. Como um Estado se rende ao crime organizado dessa forma?"
Capitão Wagner
Pré-candidato ao Governo do Ceará pelo União Brasil
.

Ele também mostra que está percorrendo os municípios cearenses em busca de apoio político e faz acenos a fatias específicas do eleitorado, como o evangélico.

Evandro Leitão


Um dos pré-candidatos do PDT, Evandro Leitão costuma publicar nas redes sociais a rotina de seus trabalhos como presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, incluindo encontros com parlamentares, participação em inaugurações do Governo, reuniões para tratar de projetos estratégicos para o Estado e municípios e homenagens recebidas por ele, como os recentes títulos de cidadão de Salitre e Juazeiro do Norte e a medalha Boticário Ferreira, a maior comenda da Câmara Municipal de Fortaleza.

Numa de suas últimas postagens, numa foto ao lado da governadora Izolda Cela e dos outros dois pré-candidatos do PDT — Roberto Cláudio e Mauro Filho —, Evandro escreveu:

Eu acredito em um projeto com um propósito maior de levar o bem ao povo cearense, por meio de políticas públicas sérias e eficazes. Esse projeto, que já trouxe muitos frutos para a população, não tem um, mas vários rostos e cabeças pensantes que buscam o melhor pelo Ceará".
Evandro Leitão
Pré-candidato ao Governo do Ceará pelo PDT

Roberto Cláudio


Único pré-candidato do PDT sem cargo público atualmente, Roberto Cláudio tem feito uma caravana pelo interior cearense para ministrar palestras sobre gestão pública e construir base política com lideranças locais. Recentemente, o ex-prefeito de Fortaleza passou por municípios como Santa Quitéria, Beberibe, Pedra Branca, Solonópole e Tauá.

Além de gestão pública, Roberto Cláudio pauta seus discursos em economia, educação, saúde e combate ao desemprego e à fome. Ele também faz críticas diretas ao Governo Bolsonaro e ao grupo político de direita comandado e apoiado por Capitão Wagner.

Eu, pessoalmente, respeito quem pensa diferente, acho que o Brasil nunca viveu um atraso tão grande quanto está vivendo, hoje, com o Bolsonaro."
Roberto Cláudio
Pré-candidato ao Governo do Ceará pelo PDT

Izolda Cela


Encontros com lideranças políticas estaduais, federais e municipais, inaugurações, anúncios, pronunciamentos. Izolda Cela foca em compartilhar a rotina do Governo do Ceará. Temas como educação, saúde, infraestrutura, segurança e economia entram de forma transversal nas postagens da gestora, que mantém agenda cheia de compromissos.

Contudo, a pedetista também tem aproveitado a vitrine das redes sociais para tomar posicionamentos políticos pertinentes e fazer movimentações conciliatórias. Na última semana, em meio a uma série de conflitos internos no partido, ela promoveu um almoço para mostrar "harmonia" entre os pré-candidatos do PDT. Dias depois, se reuniu com o senador Tasso Jereissati (PSDB) e com o ex-senador Eunício Oliveira (MDB).

Passando para agradecer por todas as demonstrações de carinho que tenho recebido nestas semanas. Daí vem uma energia potente que me fortalece para a superação dos obstáculos, que fazem parte da jornada. A luta é boa! É por nosso Ceará! Juntos vamos superar cada desafio."
Izolda Cela
Pré-candidata ao Governo do Ceará pelo PDT

Mauro Filho


Por atuar ainda como deputado federal, Mauro Filho debate temas de relevância nacional como inflação e privatização da Petrobrás. Além disso, o pré-candidato se reúne constantemente com lideranças políticas e faz menções às ações governamentais relacionadas a saúde, educação e economia, principalmente. 

Sigo firmemente acreditando em um projeto político que fez o Ceará ser estado destaque para o Brasil inteiro. Nosso maior propósito, de forma coletiva, sempre será a melhoria de vida do nosso povo e gerar mais desenvolvimento."
Mauro Filho
Pré-candidato ao Governo do Ceará pelo PDT