Em evento do União Brasil, Capitão Wagner diz que vai enfrentar um "poste" na Eleição de 2022

Ao todo, a oposição deve realizar dez encontros regionais do partido no Estado

Escrito por Wagner Mendes,

PontoPoder
Legenda: O primeiro encontro regional do União Brasil ocorreu em Sobral
Foto: Divulgação/União Brasil

Durante primeiro encontro regional do União Brasil no Ceará, realizado em Sobral, neste sábado (30), o pré-candidato ao governo estadual, Capitão Wagner (UB), afirmou que há uma "briga interna" no governo para indicar um "poste" para a disputa eleitoral de outubro.

"Tem um grupo que está há 36 anos no poder. Há uma grande briga interna pra decidir quem vai ser o poste. (...) Não estão preocupados em colocar o mais preparado não, é quem vai obedecer", disse o deputado.

Sem citar nomes, Wagner fez críticas ao grupo chefiado pelos irmãos Ferreira Gomes no Ceará, que ainda não definiu quem deve ser o candidato ou candidata do PDT ao Palácio da Abolição.

A governadora Izolda Cela, o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, o deputado federal Mauro Filho e o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, estão na disputa pela indicação.

A oposição liderada por Wagner promete realizar ao todo dez encontros regionais na pré-campanha para filiar apoiadores e fortalecer alianças. O ponto de partida foi na cidade governada por Ivo Gomes (PDT) - irmão de Cid e Ciro.

No discurso, o pré-candidato prometeu, se eleito, iniciar uma transformação educacional em Sobral, cidade que costumeiramente é vitrine eleitoral de Cid e Ciro Gomes nacionalmente pelos resultados educacionais. 

A ideia é criar um centro de capacitação digital "para mostrar que dá pra fazer muito mais em termos de educação". Wagner foi recepcionado na cidade pelo empresário Oscar Rodrigues e o deputado federal Moses Rodrigues, ambos filiados recentemente ao União Brasil, e que historicamente são adversários eleitorais dos irmãos Gomes.

"Um turno"

Aos aliados, Wagner revelou a expectativa de que a eleição no Ceará possa ocorrer em apenas um turno.

Ele contabilizou ao menos três candidaturas de maior musculatura partidária. A baixa quantidade de candidatos poderia levar a definição já no primeiro turno, assim como ocorreu em 2018 na reeleição do governador Camilo Santana (PT).

"Essa eleição tem tudo para ser decidida no primeiro turno. Tem que usar a energia toda no primeiro turno", declarou aos apoiadores.

Apoios

No evento, o PL, que estuda lançamento de candidatura própria ao Governo do Estado, foi representado pelo ex-vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena.

Capitão Wagner ainda discute a possibilidade do apoio do partido do presidente Jair Bolsonaro (PL) já no primeiro turno.

Em busca de apoio de grupos religiosos, um pastor foi convidado a falar no início do encontro. Uma apresentação musical gospel também se apresentou para o público.

Assuntos Relacionados