Marido de Joice Hasselmann nega agressão; veja o que se sabe até agora sobre o caso

Com diversas lesões, a deputada diz se lembrar apenas de ter acordado ensaguentada; entenda

Joice Hasselmann e marido, Daniel França, concedendo entrevista
Legenda: Casal descarta qualquer possibilidade de violência doméstica
Foto: Reprodução TV Globo

O marido da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), o neurocirurgião Daniel França, negou a possibilidade de agressão contra a esposa. A parlamentar acordou com seis lesões na face e uma na costela em 18 de julho último. Como esses hematomas e feridas foram causadas ainda é uma incógnita. 

Joice relata lembrar apenas de ter acordado ensanguentada e com machucados. As hipóteses levantadas pelo casal são duas: acidente doméstico ou ataque. No dia dos ferimentos, Daniel França estava em outro cômodo do apartamento funcional da deputada, em Brasília.

Ele a socorreu após receber sua ligação pedindo ajuda. Como ele era a única pessoa no local, surgiram questionamentos se o caso não se tratava, na verdade, de violência doméstica.

"Eu nunca agredi ninguém, nunca dei um tapa em ninguém, nem um murro em ninguém. Eu não tenho nenhum motivo para fazer isso, eu jamais faria isso", disse em entrevista a jornalistas, neste domingo (25). 

"Então, é exatamente por esta razão que tudo o que eu pude fazer para tentar comprovar o contrário, eu estou fazendo. Fui espontaneamente à polícia prestar depoimento. Me coloquei inteiramente à disposição de tudo, da imprensa, de tudo", completou.

A parlamentar já havia enfatizado não haver possibilidade de a causa ter sido violência doméstica em outras ocasiões. 

Joice Hasselmann com fraturas e hematomas no corpo
Legenda: Joice relatou o caso na sexta-feira (23), cinco dias após as fraturas diagnosticadas
Foto: reprodução

Por que a demora para registrar a ocorrência

Em entrevista ao Correio Braziliense, Joice disse que, inicialmente, ela acreditou se tratar de uma queda. Mas, após receber os exames, começou a cogitar um atentado.

“Eu achei que tinha caído, que teria tido um mal súbito, batido a boca, e saído sangue do nariz. A conclusão óbvia, né? Fui buscar socorro. Eu me arrastei até o criado-mudo, peguei o celular para ligar para o meu marido”, relatou.

"A gente dorme em quartos separados, desde sempre, porque ele ronca muito. Ele me atendeu na segunda ligação e saiu correndo, óbvio, eu ligando para ele de manhã. Saiu correndo, foi lá me atender e prestou os primeiros socorros. Inicialmente, a gente achou que fosse tombo”, completou. 

Daniel França confirmou a versão neste domingo. "Quando eu a vi, a primeira hipótese que ela me falou foi:  'eu caí, eu caí'. Aí, depois pensei se tratar de um acidente doméstico", disse o médico. 

Ele acrescentou que nunca presenciou um episódio de sonambulismo da esposa, mas ponderou que o medicamento que ela toma para dormir pode ocasionar esse efeito colateral. A deputa já relatou usar o mesmo remédio para dormir há 20 anos. 

O Departamento de Polícia Legislativa (Depol) — responsável por cuidar da segurança dos parlamentares — abriu uma investigação. Joice também fez uma denúncia ao Ministério Público Federal e  informou que a Polícia Civil de São Paulo também acompanha o caso.

Ela, contudo, não descarta a possibilidade de um acidente.  

Se atentado for confirmado, quem são os suspeitos

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) já havia dito ter fornecido à Polícia os nomes de dois suspeitos a serem investigados caso seja confirmado. Um deles tem acesso direto ao prédio do seu apartamento funcional, em Brasília, onde sofreu as lesões.

As informações foram dadas em entrevista ao jornal Correio Braziliense. “Eu dei dois nomes à polícia. São desconfianças, mas eu não vou acusar, pois são casos recentes. Eu passei para a polícia, e eles vão investigar”, disse. 

Joice explicou que "todos os parlamentares e motoristas já têm os carros cadastrados e entram direto" no imóvel. 

“Uma delas (das duas pessoas citadas), não diretamente, mas mandou recados indiretos. Tem acesso muito fácil aqui ao prédio. E a outra é o óbvio ululante. São pessoas que estão me ameaçando sempre e nem têm vergonha, me ameaçam publicamente nas redes sociais”, completou. 

Ao Estadão, ele acrescentou que moram no seu bloco a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o deputado Efraim Filho (DEM-PB), líder do DEM na Câmara, que é seu vizinho de porta. 

Segundo a deputada, o presidente do PSL, Luciano Bivar (PSL-PE), também tem um apartamento no mesmo bloco. Os dois tiveram conflitos de interesses na sigla

"Enquanto pode ter um bandido profissional mandado para me executar, esses papagaios imbecis de internet querem manchar a honra de um homem que se dedica a salvar vidas e que salvou a minha", disse Joice sobre acusações contra o marido.