Após aumento no preço do diesel, Bolsonaro muda regras para revisão do frete pago a caminhoneiros

Antes, a revisão dos valores pagos ocorria com reajustes acima de 10% no preço do diesel; o percentual passa a ser de 5%

Escrito por Redação,

PontoPoder
Jair Bolsonaro
Legenda: O presidente tem feito críticas às políticas de reajuste de preços da Petrobras
Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) editou, nesta terça-feira (17), Medida Provisória (MP) que modifica as regras para revisão da tabela com os preços mínimos para o frete de transporte rodoviário no país. A iniciativa ocorre logo após novo aumento no preço do diesel, que vem sendo criticado por caminhoneiros em todo o país. As informações são do G1.

A tabela de preços leva em consideração fatores como remuneração do motorista, os gastos com seguro e as despesas com combustível. Após a greve de caminhoneiros em 2018, o valor do combustível também passou a influenciar na tabela. 

A legislação previa revisão a cada seis meses do valor do diesel considerado na tabela, além de revisão extraordinária toda vez que houvesse aumento igual ou superior a 10% no valor do diesel. Com a MP, o percentual para revisão extraordinária passa a ser de 5%.

 A edição da medida provisória é a última de uma série de ações adotadas pelo presidente após o anúncio de aumento no preço do diesel, em vigência desde o dia 10 de maio. Na última semana, a Petrobras anunciou aumento de 8,87% no valor do diesel - que irá passar por um aumento de R$ 4,51 para R$ 4,91.

Além das críticas feitas a política de reajuste da Petrobras, o presidente fez mudanças no comando da empresa e trocou o titular do Ministério de Minas e Energia.