Transporte aéreo e cultura são setores mais afetados na pandemia, aponta Economia

Transporte ferroviário e metroferroviário de passageiros; transporte interestadual e intermunicipal de passageiros também estão entre as áreas mais afetadas

Legenda: Transporte aéreo ocupa a segunda posição no ranking de setores mais prejudicados pela pandemia
Foto: Camila Lima

O Ministério da Economia publicou nesta terça-feira, 15, no Diário Oficial da União (DOU) a lista dos setores mais impactados pela pandemia do novo coronavírus no País. As atividades artísticas, criativas e de espetáculos e o transporte aéreo ocupam o topo do ranking dos setores mais prejudicados, estando na primeira e na segunda posição, respectivamente.

Dentre os dez primeiros mais afetados, ainda aparecem, nesta ordem: transporte ferroviário e metroferroviário de passageiros; transporte interestadual e intermunicipal de passageiros; transporte público urbano; serviços de alojamento; serviços de alimentação; fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias; fabricação de calçados e de artefatos de couro; e comércio de veículos, peças e motocicletas.

A relação completa destaca 34 setores e consta de portaria assinada pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Alexandre Da Costa. Nas duas últimas posições do documento, publicado no Diário Oficial da União (DOU), estão fabricação de móveis e de produtos de indústrias diversas e comércio de outros produtos em lojas especializadas.

"A lista de atividades de que trata esta portaria é destinada a orientar as agências financeiras oficiais de fomento, inclusive setoriais e regionais, acerca dos setores mais impactados pela crise ocasionada pela covid-19", diz o texto. Veja aqui.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de negócios?