Já sabe se tem dinheiro esquecido no banco? Entenda como funciona o Sistema de Valores a Receber

Consulta do saldo a receber vai ocorrer a partir do dia 14 de fevereiro

Escrito por Redação,

Negócios
Dinheiro sobre uma superfície
Legenda: A procura por recursos esquecidos foi tamanha que provocou instabilidades no sistema
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Calcula-se que R$ 8 bilhões foram esquecidos ou sequer são de conhecimento dos titulares de contas bancárias desde junho de 2021, no Brasil. Para que esses valores sejam consultados e resgatados, o Banco Central (BC) lançou o Sistema de Valores a Receber (SVR), na última segunda-feira (24).

No entanto, a demanda foi alta e derrubou a ferramenta logo no segundo dia de operação. Em menos de 24 horas, R$ 900 mil já haviam sido retirados.

As instabilidades estão sendo resolvidas, mas o retorno para consulta deste saldo só ocorre a partir de 14 de fevereiro. O Diário do Nordeste preparou um tira-dúvidas sobre o assunto. Leia:

O que é o SVR 

O Sistema de Valores a Receber (SVR) é um serviço destinado a pessoas físicas e jurídicas para a consulta de possíveis valores a receber de bancos e demais instituições do sistema financeiro, e, em caso de saldo positivo, pode-se solicitar a devolução dos recursos. 

Com saber se tem dinheiro para receber

Você deverá acessar a página Minha Vida Financeira, no site do BC, digitar seu CPF ou o CNPJ para verificar se tem ou não valores a receber. Em caso positivo, você deverá acessar o Registrato e verificar:

  • o total de dinheiro a receber;
  • o banco que deve te devolver o recurso; 
  • a origem desse recurso.

O que é Registrato

O Registrato é um sistema para consulta gratuita, informações sobre empréstimos e, em quais bancos você possui conta, chaves Pix cadastradas, dívidas com órgãos públicos federais, cheques sem fundos e dados de compra ou venda de moeda estrangeira feita por você. 

Caso você não tenha cadastro no Registrato, deve fazê-lo para poder acessar essas informações. 
 

De onde são esses valores a receber

  • Contas correntes ou poupança encerradas com saldo disponível;
  • Tarifas cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o BC;
  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado com o BC;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito; 
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrado.

 

Como receber o dinheiro 

  • Após se cadastrar, volte para a página do Registrato para incluir login e senha;
  • Clique em "Valores a receber".
  • Para receber os valores de volta, há duas opções que estarão disponíveis na área da consulta. Se o cliente encontrar um aviso "Solicite aqui" significa que o banco aderiu ao Termo do BC que prevê a devolução do valor via Pix na sua conta em até 12 dias úteis.
  • Excepcionalmente, o banco poderá pagar via TED ou DOC, mas desde que no prazo de até 12 dias úteis e desde que na conta onde você registrou a chave Pix indicada no Registrato.

 

Quando vou receber o dinheiro

O resgate poderá ser agendado a partir de 7 de março. Até lá, a pessoa deve fazer o processo de consulta, que tem previsão para retornar no próximo dia 14 de fevereiro. 
 

Cuidado com golpes

O Banco Central alertou para o risco de fraudes utilizando o nome do  Sistema Valores a Receber (SVR). Veja como evitar cair em golpes:

  • O BC não entra em contato com os cidadãos;
  • Qualquer informação sobre valores a receber só poderá ser obtida a partir de 14/02/2022;
  • A solicitação de resgate no SVR será feita por meio de usuário e senha e os recursos serão transferidos diretamente das instituições financeiras para os cidadãos, que não devem fazer qualquer depósito prévio a qualquer pessoa ou instituição.

 

Telegram

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste