Correios inicia transporte por cabotagem; Porto do Mucuripe é um dos destinos incluídos

Com o transporte marítimo, estatal espera reduzir custos operacionais e garantir uma maior segurança das cargas

Legenda: Porto do Mucuripe está incluso entre os destinos da primeira carga dos Correios transportada via marítima.
Foto: Igor Machado/Companhia Docas do Ceará

Os Correios começaram neste mês de junho o projeto piloto de transporte por cabotagem, o transporte de cargas por navegação entre portos brasileiros. 

Parte de uma remessa de 430 toneladas do Programa Nacional do Livro Didático (FNDE) desembarcou nessa quarta-feira (23) em Salvador (BA). 

Os cargueiros também têm como destino os portos de Mucuripe (CE), Suape (PE) e Manaus (AM). A operação marcou o ingresso da empresa nessa modalidade de transporte.

Processo logístico

A logística consistiu na coleta da carga nas instalações das editoras e gráficas localizadas em São Paulo, seguida pelo deslocamento até o porto de Santos (SP). 

Após o desembarque nos portos brasileiros, a carga será disponibilizada aos centros logísticos dos Correios em cada capital e redistribuída às escolas e secretarias de educação.

Vantagens da cabotagem

O modal marítimo oferece vantagens, como a maior segurança da carga, o que deve diminuir os índices de avarias e delitos, e a redução de custos operacionais.

Outros diferenciais são os ganhos de eficiência energética, ambiental e geoeconômica. 

Segundo o diretor de Operações dos Correios, Carlos Henrique de Luca Ribeiro, a estatal avaliará a performance e a possibilidade de ampliação da modalidade em outras operações logísticas. 

“O uso da cabotagem reforça o compromisso dos Correios com a sociedade brasileira e com o meio ambiente. A busca por novos modais de transporte é uma das várias ações em curso na empresa, com foco na sua transformação e modernização”, ressalta o gestor.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios