Conhecer novo perfil do turista é agenda urgente para superar crise

Desafios impostos pela pandemia exigem reinvenção da cadeia turística em consonância com novas demandas dos viajantes. Fortalecimento do turismo interno e a cooperação entre as empresas são necessários à retomada do setor

Legenda: Fortalecimento do turismo doméstico também foi questão levantada durante evento online do setor
Foto: FOTO: THIAGO GADELHA

A colaboração entre as empresas e entidades, um olhar mais apurado para o turismo doméstico e um conhecimento melhor do novo perfil do turista após a pandemia do coronavírus são pontos que devem ser levados em consideração e discutidos para que o setor consiga superar a crise. A reflexão foi posta ontem (1º) durante o painel "O papel dos pequenos negócios turísticos na retomada da economia" no evento online Conexões do Turismo -Uma Nova Era, promovido pelo Visite Ceará Fortaleza Convention & Visitors Bureau.

O diretor superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Ceará), Joaquim Cartaxo, pontuou que é preciso conhecer o turista e discutir com ele quais são seus novos interesses e limites. "Em relação ao turismo, nós vamos ter que ser radicais na reinvenção. E essa reinvenção precisa de um diálogo muito intenso. Quem vai ser esse novo turista? Precisamos saber quais serão as demandas dele, se ele vai estar disposto a ir para um lugar que aglomera ou se vai ser seletivo".

Cartaxo destacou que a "agenda desta pergunta é urgente" e que essa discussão com o turista dentro do chamado "novo normal" permitirá a tomada de decisões mais assertivas. "A gente só vai poder dar respostas concretas em relação ao futuro do turismo se nós começarmos a refletir e a dialogar com o novo turista. Não adianta a gente imaginar algo que depois não vai poder ser vendido porque o turista não vai estar interessado naquilo", ressalta.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), Maurício Filizola, reforçou que, apesar do momento desafiador, a entidade vem trabalhando em cursos para preparação do comércio e dos serviços para o novo momento.

"O novo cliente está mais preocupado com a higiene pessoal e coletiva. Também está mais preocupado com a sustentabilidade. Sabemos que o cliente vai voltar e precisamos estar preparados para isso", reforçou o presidente da Fecomércio-CE.

Cooperação

Maurício Filizola também frisou que, no momento, o trabalho conjunto entre as empresas é fundamental para atravessar as adversidades. "É preciso cooperação. Às vezes, temos instituições fazendo coisas diferentes e a gente precisa se conectar, inclusive para melhorar a comunicação com esse novo consumidor". Frisou Filizola.

Turismo interno

Também participando do painel, que teve a mediação da presidente do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Estado do Ceará (Sindieventos Ceará) e vice-presidente do Sistema Fecomércio no Ceará, Circe Jane Teles da Ponte, a secretária adjunta do Turismo do Ceará, Denise Carrá, reforçou que nesse momento uma estratégia deverá ser o fortalecimento do turismo interno.

"Incentivar o turismo doméstico, para estimular o próprio cearense a viajar para o próprio destino", disse. Ela também ressaltou a importância da implementação dos protocolos sanitários e de fortalecer a inovação e a criatividade. "Destinos que sejam inovadores e criativos vão sair na frente e trabalhar de forma individualizada realmente não cabe nesse momento", disse Denise Carrá.

Convergência

A consultora empresarial de Turismo e diretora da ARC Consultoria Empresarial, Anya Ribeiro, também destacou a importância de união, com "convergência na execução dos projetos". "É trabalhar com a comunicação coletiva consciente para um desenvolvimento do turismo com mais responsabilidade social e mais sustentabilidade. Nós tivemos a oportunidade de ver o quanto nós fomos desleixados com a natureza", avalia.

"É tempo de nós fazermos muita parceria, de conversamos e nos integrarmos o máximo com o objetivo de construirmos e chegarmos juntos. Estamos falando de um novo turista, de um novo tempo, então que sejamos também novos gestores, cada um na sua área, no entendimento dessa nova sociedade", refletiu Anya Ribeiro.