AFBNB: funcionários fazem manifesto

O interesse do Governo Federal em reduzir os repasses do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FNE) através de um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) também gerou protesto de funcionários do Banco do Nordeste, que acreditam que a medida representa uma ameaça à instituição. Ontem, durante o Fórum de Desenvolvimento, foram realizadas ações de panfletagem e distribuição de adesivos contra a mudança.

> Criticado provável corte de repasses do FNE

> 'Banco induz o desenvolvimento'

> Contas públicas: pior resultado da série

De acordo com a Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste (AFBNB), caso seja a provada, a PEC 87 causará uma redução de R$ 4 bilhões em investimentos na região, tomando por base apenas a programação orçamentária do FNE para este ano (R$ 13,3 bi).

Ameaça

Para a entidade, a proposta do governo federal também ameaça o trabalho de redução das desigualdades regionais. "A PEC não se justifica haja vista que a distribuição de receitas aos Fundos Constitucionais objetiva contribuir para o desenvolvimento econômico e social das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste", defende a AFBNB em nota divulgada à imprensa.

Impacto

A Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste ressalta ainda que o norte dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, que fazem parte da área de atuação do Banco, também sofrerão caso a PEC seja aprovada.

Os funcionários do Banco do Nordeste prometem se organizar para pressionar a bancada do Nordeste na Câmara Federal, além de cobrar publicamente das autoridades um projeto nacional de desenvolvimento onde seja dada maior atenção às regiões menos desenvolvidas, como o Norte e o Nordeste.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios