Jornal Nacional completa 50 anos com rodízio de apresentadores de todo o País

Taís Lopes, do Bom Dia Ceará, está entre os apresentadores do rodízio; além disso, série especial e lançamento de livro sobre o telejornalismo serão realizados

Legenda: Willian Bonner e Renata Vasconcellos revezarão a bancada com âncoras de todo o País, durante 3 meses

Cinco décadas e mais de 14 mil "boas-noites" que o Brasil se encontra e se vê no Jornal Nacional, o primeiro programa da televisão brasileira gerado em rede nacional. Do esporte à política, da música à economia, da moda à ciência estão reunidos ali, diariamente, as informações mais relevantes, as declarações mais bombásticas, as personalidades mais marcantes e os principais fatos que fazem o mundo girar desde o dia 1º de setembro de 1969.

Para comemorar os 50 anos, a tradicional bancada terá rostos e sotaques de cada Estado do País. O lugar que hoje é ocupado por Willian Bonner e Renata Vasconcellos vai receber, aos sábados, 27 âncoras das afiliadas da emissora dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal. Ao longo da história, já passaram nomes significativos da imprensa nacional como Hilton Gomes, Cid Moreira, Sérgio Chapelin, Celso Freitas, Lillian Vitte Fibe, Sandra Annenberg, Fátima Bernardes e Patrícia Poeta. O rodízio especial destes cinquenta anos durará três meses.

As primeiras participações foram ao ar ontem, quando Márcio Bonfim, de Pernambuco, e Cristina Razolin, do Rio Grande do Sul, formaram a primeira dupla. A apresentadora Taís Lopes, que divide com Leal Mota Filho o comando do jornal matinal da TV Verdes Mares, Bom Dia Ceará, representará o Estado no dia 19 de outubro. Ao lado dela estará Thiago Rogeh, da TV Anhanguera, do Tocantins.

Livro e série

A série "JN 50 anos" vai aprofundar em cinco temas que foram objeto de grandes matérias ao longo do último meio século. De 2 a 6 de setembro, trechos do acervo, com os repórteres e apresentadores que deram voz às notícias, vão relembrar como a relação com o outro, a educação, as cidades, o trabalho e a saúde se transformaram, avançaram ou regrediram nesse período.

Será lançado também o livro "Jornal Nacional: 50 anos de telejornalismo", que reúne o registro dos fatos mais relevantes da história mundial, as evoluções tecnológicas e as transformações no tratamento da informação. Lançada pela Globo Livros em parceria com o Memória Globo, a publicação traz temas como eleições, grandes coberturas esportivas e internacionais e a narração de tragédias que marcaram o Brasil e o mundo.

Com supervisão editorial do diretor-geral de Jornalismo da Globo, Ali Kamel, e da diretora de Projetos Especiais, Maria Thereza Pinheiro, os autores foram convidados a escrever, da perspectiva das funções que exercem ou exerceram, sobre o desafio de levar os fatos ao público. Atravessando as páginas da obra, o leitor encontrará recordações dos mais variados profissionais, alguns responsáveis pela fundação da emissora; outros, jovens que têm contribuído para manter o JN próximo de cada nova geração de telespectadores.

História no site

O portal do JN também traz material especial sobre os 50 anos, incluindo uma linha do tempo com 50 fatos marcantes que aconteceram ao longo da trajetória do jornal. A inconfundível vinheta de abertura ganhou uma playlist com suas versões e atualizações nessas cinco décadas. Um vídeo mostra o que acontece nos bastidores da redação pouco antes do tradicional "boa-noite" de abertura, com depoimentos de William Bonner e Renata Vasconcellos. Os leitores também poderão testar seus conhecimentos sobre a história do JN e sobre a série especial que vai ao ar no jornal - que terá seus cinco episódios disponíveis em uma playlist. Matérias especiais mostram quem são os 27 apresentadores das afiliadas que assumirão o rodízio aos sábados.

Na TV, filmes que celebram o cinquentenário passam a ser veiculados a partir deste fim de semana. Na locução das peças, ganha destaque o que mantém, há tanto tempo, a relação de confiança do brasileiro com o telejornal: "A gente não para de trabalhar, não para de buscar, não para de investigar, não para de questionar. Para você não parar de saber. Há 50 anos, deu no JN é fato".

Do outro lado da tela, milhões de pessoas de todo o Brasil fazem parte da trajetória do JN ao longo desses 50 anos. Para representá-las, a Central de Atendimento ao Telespectador (CAT), em parceria com o Memória Globo, produziu um webdoc com seis telespectadores de diferentes regiões do País. Pessoas que abriram as portas de suas casas para contar suas memórias e a história de sua relação com o jornal. O webdoc estará disponível na íntegra e em pílulas no site do JN, no site do Memória Globo e nas redes sociais do jornal.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados