Após ser empurrado no altar, Padre Marcelo Rossi lançará livro com capítulo sobre o perdão

Cinco meses depois do acidente, quando caiu de uma altura de dois metros, o sacerdote diz não ter dúvidas de que viveu um milagre

Legenda: A força do perdão será um dos capítulos do livro que o Padre Marcelo Rossi lançará em 2020
Foto: Foto: Marcos Hermes

* Com inforrmações da Folhapress

A força do perdão será um dos capítulos do livro que o Padre Marcelo Rossi pretende lançar em 14 de julho de 2020. Na obra, o sacerdote abordará a experiência vivida no dia 14 de julho de 2019, em que foi empurrado do altar, caindo de uma altura de dois metros.

Para Rossi, a ocorrência serviu como um "chacoalhão" para ele valorizar mais a própria vida e seguir com sua missão. Conforme o Padre, desde o episódio, ele ganhou estímulo, que se reflete em novos projetos, a exemplo do lançamento do EP "Maria Passa à Frente."

Foi a maior dor que eu já senti em 52 anos da minha vida".
Essa é uma das lembranças mais fortes que padre Marcelo Rossi tem do episódio, quando uma mulher invadiu o altar no qual ele celebrava uma missa em Cachoeira Paulista (a 212 km de São Paulo) e o empurrou do palco.

No início de dezembro, cinco meses depois do ocorrido, Rossi retornou ao local da queda e afirma ter vivido um milagre. “Não tem explicação, era para, no mínimo, eu ter me estourado todo ou estar tetraplégico ou não estar aqui (...) Não tenho dúvida nenhuma que foi um milagre", revela em entrevista à Folhapress.

Apesar da dor "que só de imaginar arrepia", ele conta que também teve uma força muito grande para voltar ao altar e continuar a rezar a missa. "Tinha dor? Tinha. Mas dentro do coração eu tive uma força, primeiro de perdão. Eles falavam em B.O., mas eu sou padre, a minha delegacia é a capela, o meu B.O. é Bíblia e oração."

O Padre ressalta que, em nenhum momento, sentiu raiva da mulher que o empurrou, porque está muito agradecido a "Deus pela vida". "Não é humano, não é possível alguém jogar com uma força tão grande... Depois eu vi o tamanho da pessoa, que tem a metade do meu tamanho, e fiquei mais impressionado ainda", afirma.

O sacerdote está convicto de que o fato de ter perdoado a responsável pelo empurrão foi fundamental para que ele não tivesse nenhuma sequela. "Se tinha alguma coisa quebrada no meu corpo, tenho certeza que lá eu fui curado [ao continuar a missa]."

Ele só foi ao hospital dois dias depois do acidente e, após uma bateria de exames, a única recomendação médica foi arnica para cicatrizar o ralado na perna, gerado ao cair na grade de ferro que estava no local.

Marcelo Rossi não chegou a se encontrar com a mulher que o empurrou, mas diz que não teria problemas em conversar com ela. Detida pela polícia, a mulher (que teve o seu nome preservado) declarou que sofre de transtorno bipolar e está em tratamento psiquiátrico.

Programa de rádio

Além do lançamento do livro, o sacerdote comanda o programa de rádio "No Colo de Jesus e Maria", de segunda a sábado, das 8h às 9h, transmitido, em Fortaleza, pela Rádio Verdes Mares.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?