Câmara do Rio não localiza Gabriel Monteiro para notificá-lo de processo

O vereador é acusado de quebra de decoro parlamentar pela prática de supostos estupros e episódios de assédio sexual e moral

crimes gabriel monteiro
Legenda: Monteiro é alvo de processo no Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio
Foto: Reprodução

O procurador-geral da Câmara Municipal do Rio, José Luiz Minc, tentou por duas vezes notificar o vereador Gabriel Monteiro (PL) nessa terça-feira (19) do processo que começou a tramitar contra ele no Conselho de Ética da Casa, mas não conseguiu encontrá-lo.

Novas tentativas serão feitas nos próximos dias pelo vereador Chico Alencar (PSOL), relator da representação. Se o parlamentar não for localizado até à próxima segunda-feira (25) ele será notificado por edital a ser publicado no Diário da Câmara Municipal.

A notificação é necessária para dar ciência ao acusado do processo e para que comece a ser contado o prazo de dez dias úteis para que ele apresente defesa prévia. Monteiro é acusado de quebra de decoro parlamentar, pela prática de supostos estupros e episódios de assédio sexual e moral, além de manipulação de vídeos e infração a direitos de uma criança que foi protagonista de um vídeo gravado por ele.

No entanto, o vereador nega todas as acusações, atribuindo a autoria dos crimes a adversários políticos que queriam "destruí-lo".

Segundo a Câmara, Minc esteve pessoalmente no gabinete do parlamentar primeiro por volta das 15h e depois no fim da tarde. Não conseguiu, porém, encontrá-lo para que assinasse a citação. Também nessa terça, o Conselho de Ética se reuniu para debater os próximos passos.

"Nós estamos rigorosamente dentro do Regimento, trabalhando com os prazos, sem pressas e dentro da legalidade e de todos os preceitos constitucionais", afirmou Chico Alencar.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados