Ginseng: o que é, quais são os benefícios e como tomar

A planta medicinal tem ação estimulante e revitalizante, e apresenta uma série de benefícios à saúde do coração e do cérebro

Escrito por Itallo Rocha, itallo.rocha@svm.com.br

Ser Saúde
Ginseng em placa preta na mesa de madeira
Legenda: Tanto a raiz quanto o caule dele têm ferro, que melhora o desempenho muscular, a função cerebral, previne anemia, doenças crônicas, alivia sintomas da TPM e fortalece o cabelo
Foto: Shuttestock

O ginseng é uma planta medicinal da família Araliceae que tem diversos subtipos, sendo o coreano/asiático (Panax ginseng) o principal.

Ele tem ação estimulante e revitalizante, e apresenta uma série de benefícios à saúde do coração e do cérebro, ajudando na diminuição do estresse e da fadiga, por exemplo.

De acordo com a nutricionista Tatyane Costa*, a planta medicinal significa "raiz humana" e é uma das ervas orientais mais conhecidas, sendo amplamente utilizada como fitoterápico para vários distúrbios.

Além da asiática, diz, existem muitas espécies, como o ginseng siberiano (Eleutherococcus senticosus) e o ginseng americano (Panax quinquefolius). "Apesar de serem da mesma família, produzem efeitos diferentes".

Ginseng coreano/asiático

Segundo a especialista, o conhecido como ginseng coreano/asiático é uma espécie nativa da China, Coreia e Rússia que aumenta a resistência ao estresse físico, químico e biológico, além da vitalidade geral, incluindo a física e capacidade mental.

O nome Panax, pontua, deriva das palavras gregas pan (tudo) e akos (cura), "cura total", enquanto ginseng significa "raiz humana" devido à forma dela, criando a crença de que pode beneficiar todos os aspectos do corpo humano.

"Todas as partes da planta contêm constituintes farmacologicamente ativos. No entanto, a raiz é a parte medicinal mais importante", afirma a nutricionista.

Ginseng indiano

O ginseng indiano, também conhecido como Ashwagandha ou cereja do inverno, é outra planta medicinal de nome científico Withania somnifera que pertence à família Solanaceae.

Tatyane Costa destaca que os principais compostos da Ashwagandha são os alcaloides, esteroides e os compostos conhecidos como witanolidos, responsáveis pelas várias propriedades medicinais, incluindo a ativação do sistema imunológico, sistemas musculares e neurológico.

Ginseng indiano
Legenda: O ginseng indiano também é conhecido como Ashwagandha ou cereja do inverno
Foto: Shutterstock

"Os compostos ativos do Panax ginseng e da Withania somnifera são semelhantes em estrutura e função, os dois apresentam propriedades relacionadas ao aumento da longevidade e estimulação sexual", explica.

Principais nutrientes

O ginseng tem vitaminas B1, B2 e B3 que ajudam o organismo a utilizar as substâncias com eficiência. Elas agem no metabolismo da glicose, dos ácidos graxos e aminoácidos.

Além delas, a planta medicinal também conta com a vitamina B12, que colabora na manutenção das funções do sistema nervoso e para a formação das células vermelhas do sangue.

Tanto a raiz quanto o caule dele têm ferro, nutriente considerado essencial para a saúde que melhora o desempenho muscular, a função cerebral, previne anemia, doenças crônicas, alivia sintomas da TPM e fortalece o cabelo, por exemplo.

No entanto, informa a especialista, os ginsenosídeos – grupo de saponinas que tem efeito anti-inflamatório – são os principais componentes funcionais do ginseng.

"Outros compostos farmacológicos também são encontrados como polissacarídeos, polienos, flavonoides, vitaminas do complexo B e óleos essenciais sesquiterpênicos".

Benefícios

  • Melhora a circulação sanguínea (ginseng coreano: Panax ginseng);
  • Reduz o estresse (ginseng americano: Panax quinquefolius);
  • Diminui o cansaço e a fadiga;
  • Potencializa a capacidade de memorização e de aprendizagem;
  • Estimulante de libido, pois melhora a circulação sanguínea e reduz a impotência sexual;
  • Coopera para a regular a pressão arterial;
  • Pode atuar como um agente complementar ou coadjuvante à quimioterapia, potencializando a resposta imunológica, atenuando efeitos adversos e estimulando o apetite do paciente.

Como consumir

Conforme a nutricionista, o Panax ginseng está disponível em uma ampla variedade de formas e preparações.

A raiz pode ser encontrada em pó, cápsula, extrato, decocto (para chás) e tintura (extração em forma líquida).

Chá de ginseng
Legenda: O ginseng pode ser consumido como chá e outras diversas maneiras
Foto: Shutterstock

O pó pode ser colocado em sucos, chás, sopas e outras receitas caseiras, e a raiz também pode ser mastigada.

A planta medicinal, acrescenta Tatyane Costa, está cada vez mais diversificada, podendo ser encontrada em cremes dentais, drinks sofisticados, doces, gomas de mascar, entre outros.

Consumo contínuo 

Ela alerta que o ginseng não deve ser consumido continuamente, pois o uso prolongado dele, bem como o uso excessivo, pode causar uma série de efeitos adversos, como:

  • Dores de cabeça;
  • Sonolência;
  • Tensão muscular;
  • Retenção de líquidos;
  • Alterações na pressão arterial e na coagulação;
  • Distúrbios gastrointestinais;
  • Diarreia;
  • Insônia;
  • Ansiedade;
  • Nervosismo;
  • Euforia;
  • Erupção cutânea; e
  • Edema.

Quantidade recomendada

  • Na forma de extrato seco padronizado a 4% de ginsenosídeos: 200 mg por dia;
  • Raiz seca (em forma de chá): 1 a 2 g de duas a três vezes ao dia.

"Porém, vale ressaltar que a indicação de consumo também varia de acordo com as necessidades individuais. O ideal é procurar a orientação de um médico ou nutricionista antes de começar o uso", ressalta a especialista.

Contraindicações

Também de acordo com a nutricionista, as contraindicações ao uso de Panax ginseng incluem hipertensão, asma, infecções agudas e hemorragias.

Ele também causa atividade hipoglicêmica. Assim, é preciso ter cuidado ao usar o ginseng em pacientes com diabetes, devido a possíveis interações com agentes hipoglicemiantes orais e insulina.

Ginseng
Legenda: Embora apresente uma série de benefícios à saúde, há pessoas que não podem consumir o ginseng
Foto: Shutterstock

"Outras medicações que também podem causar interações com o Panax ginseng é a varfarina e a fenelzina. O uso do ginseng em crianças e em mulheres grávidas ou amamentando também deve ser evitado", salienta.

Efeitos colaterais

O Panax ginseng, assegura Tatyane Costa, é geralmente bem tolerado, e os efeitos colaterais dele normalmente são leves e reversíveis. Entre eles estão:

  • Náusea;
  • Diarreia;
  • Euforia;
  • Insônia;
  • Dores de cabeça;
  • Mastalgia (dor nos seios);
  • Sangramento vaginal; e
  • Alterações da pressão arterial (hipertensão ou hipotensão).

Fonte

*Tatyane Costa Lima é graduada pela Universidade de Fortaleza (Unifor), pós-graduada em Nutrição Clínica e Fitoterapia Aplicada, Aperfeiçoada em Bioquímica e Metabolismo. Atua em consultório particular em Fortaleza–CE, promovendo atendimento e acompanhamento nutricional para adultos e idosos com foco na nutrição preventiva, mudança de hábitos e melhora da qualidade de vida.

Assuntos Relacionados