4 benefícios da laranja que vão além da vitamina C

Por ser uma fruta da qual todas as partes podem ser aproveitadas, ela é considerada um alimento funcional

Escrito por Carol Melo, carolina.melo@svm.com.br

Ser Saúde
Frutas frescas de laranja com folhas em uma caixa na mesa de madeira
Legenda: A vitamina C combate o envelhecimento precoce, previne doenças crônicas, além de reforçar o sistema imunológico, tratando e evitando gripes e resfriados
Foto: Shutterstock

A laranja é um dos alimentos mais produzidos e consumidos no Brasil. Por ser uma fruta de que todas as partes — casca, polpa e suco — podem ser aproveitadas, além de oferecerem benefícios para a saúde, ela é considerada um alimento funcional.

Conhecida por ser rica em vitamina C, nutriente que combate o envelhecimento precoce, previne doenças crônicas, além de reforçar o sistema imunológico, tratando e evitando gripes e resfriados, o fruto possui outros efeitos positivos quando há ingestão regular. 

Propriedades e nutrientes 

A laranja é o fruto do pé de laranjeira. Originária da Ásia, é conhecida pelo sabor cítrico, variando entre o doce e o levemente azedo. Ela é rica em vitaminas como A, B e C, além de nutrientes como cálcio, magnésio, potássio e fósforo, lista a nutricionista Sabrina Lima*.

Além dessas propriedades, a laranja apresenta cerca de 170 fitoquímicos e mais de 60 flavonoides, agentes bioativos com poder antioxidante e anti-inflamatório, respectivamente.  

 

Tipos de laranja 

Close-up de mão e laranjas em uma fazenda de laranjas com um lindo sol
Legenda: As versões laranja-pera, laranja-lima, laranja-da-terra, laranja-bahia, laranja-natal e laranja Hamlin são as mais comuns no Brasil
Foto: Shutterstock

No Brasil existem diversas espécies nativas da laranja, das quais as mais comuns são: laranja-pera, laranja-lima, laranja-da-terra, laranja-bahia, laranja-natal e laranja Hamlin.   

 

  • Laranja-pera: é a mais comum em supermercados e feiras. Pequena e levemente alongada, com casca lisa e esverdeada, é frequentemente servida como suco e/ou tira-gosto, acompanhando a feijoada.   
  • Laranja-da-terra: de aspecto mais grosseiro, tem a casca enrugada, similar a uma mexerica ou poncã. O consumo desse tipo da fruta é menos popular em relação às demais por apresentar sabor mais amargo, mas é utilizada em geleias e compotas caseiras.  
  • Laranja-bahia: popularmente conhecida como baianinha, é típica do período de março a junho — outono no Hemisfério Sul — e possui a casca grossa, de cor laranja. Diferencia-se das outras pela reentrância na extremidade. Ela possui um sabor característico, que mistura o ácido ao adocicado, agradando tanto na versão natural quanto em sucos.   
  • Laranja-lima: maior que a laranha-pera, ela possui a casca lisa, que varia entre amarelada ou alaranjada. Essa versão tem o sabor mais adocicado. A safra ocorre entre junho e dezembro, época referente ao inverno e à primavera. O consumo dela é mais apreciado por crianças, como uma opção de lanche, explica a especialista.  
  • Laranja-natal: de aspecto oval e cor predominantemente amarela, ela possui sabor bem adocicado. O cultivo é predominante por todo o ano, tanto em períodos de inverno, quanto de verão.  
  • Laranja-Hamlin: é cultivada nos meses de outono e inverno. Possui a casca fina e lisa, além de alto teor de fibras e pouco açúcar. Esse tipo tem o sabor bem ácido. 

 

Benefícios da laranja

A fruta é popularmente conhecida pelo alto teor de vitamina C na composição e como um dos alimentos que ajudam na prevenção e no tratamento de resfriados e gripes. No entanto, outros efeitos positivos são associados à laranja.

Segundo a nutricionista, é necessário consumir uma laranja diariamente para ter acesso aos benefícios do alimento.  

 

Previne doenças crônicas 

Por ser fonte de potássio, magnésio e betacaroteno, nutrientes que possuem ações antioxidantes, o fruto consegue atuar na prevenção de doenças cardiovasculares e até mesmo o câncer.  

 

Auxilia no emagrecimento 

Laranjas frescas maduras na mesa de madeira contra o fundo desfocado
Legenda: A fruta possui agentes bioativos com poder antioxidante e anti-inflamatório
Foto: Shuttestock

A laranja é uma fruta rica em fibras, água e vitamina C, um combo propício para a perda de peso, explica a profissional. Abundância de fibras é o principal fator que contribui para o emagrecimento, já que promove uma sensação de saciedade, evitando que o indivíduo sinta fome ou vontade de comer. 

Por isso, Sabrina Lima indica que o ideal é consumir a fruta juntamente ao bagaço. 

 

Protege contra artrite reumatoide  

A doença inflamatória crônica, de origem autoimune, é caracterizada pela destruição progressiva das articulações. Por possuir propriedades anti-inflamatórias, devido à presença de fitoquímicos e flavonoides, o consumo da laranja pode reduzir a inflamação na área afetada.  

Outro fator que contribui para proteger contra a patologia é o ácido ascórbico (forma da vitamina C), que fornece também proteção as células, minimizando os efeitos dos radicais livres, responsáveis por alguns desequilíbrios no corpo. 

 

Reduz colesterol ruim 

Alguns estudos científicos apontam que flavonoides presentes na laranja se mostraram eficazes na diminuição da absorção do colesterol LDL — conhecido como “colesterol ruim” — pelo intestino. O fato de ser rica em fibras também é uma característica que contribui para reduzir a concentração de colesterol LDL

Perguntas frequentes 

 

O suco possui os mesmos benefícios da fruta? 

Copo de suco de laranja fresco com frutas frescas na mesa de madeira
Legenda: Nutricionista indica que a fruta seja consumida com o bagaço
Foto: Shutterstock

Apesar de ser elaborado a partir da laranja, o suco dela não possui o mesmo valor nutricional que a versão natural, afirma a nutricionista. O indivíduo que deseja ter acesso aos benefícios associados ao fruto deve dar preferência por consumir ele in natura.  

A desvantagem do sumo é não possuir as fibras que existem quando o produto é consumido integralmente, explica a profissional, que ainda alerta para o índice glicêmico da bebida, maior em relação ao da fruta.  

 

Como aproveitar a casca da laranja? 

As cascas de frutas cítricas são ricas em flavonoides — compostos de propriedades antioxidantes, antivirais, antibacterianas e anti-inflamatórias. Além da substância, essa parte da laranja tem pectina, que é um tipo de fibra solúvel que possui efeito hipocolesterolêmico, contribuindo para o controle dos níveis de colesterol.

Sabrina Lima indica que uma forma de aproveitar os benefícios associados à casca da laranja é consumir o chá dela, pois além de ser uma bebida natural, é prática e pode ser feita diariamente.  

 

Chá de casca de laranja 

Ingredientes 

  • 250mL de água; 
  • 1 laranja.   

Modo de preparo 

  • Descasque a fruta, e corte a casca em pedaços menores. Em uma chaleira, coloque uma colher de sopa das cascas, a água e leve para ferves por cerca de 3 a 5 minutos.  
  • Apague o fogo e deixe por infusão por mais 5 minutos. Coe e sirva. 

Há algum malefício? Laranja faz mal?

O consumo exagerado da fruta pode trazer alguns malefícios ao organismo, como elevar os níveis de potássio, principalmente em pessoas com hipercalemia — excesso de potássio no corpo.

Pacientes que sofrem com gastrites ou úlceras gástricas também devem evitar o consumo da laranja. A nutricionista explica que o fruto não é proibido para esses indivíduos, mas deve ser ingerido apenas a partir de orientação profissional.  

 

Quantas laranjas posso comer por dia? 

Frutas frescas de laranja com folhas em uma cesta na mesa de madeira
Legenda: Nutricionista afirma que o ideal é comer uma laranja por dia para ter acesso aos benefícios do alimento
Foto: Shutterstock

A quantidade ideal de laranjas consumidas por dia deve ser de até duas unidades, indica a especialista.  

 

Pode comer o bagaço? 

Sim. Essa parte da laranja é rica em fibras, auxiliando, assim, o bom funcionamento do intestino. O bagaço também é fonte de pectina, que auxilia na sensação de saciedade, reduz o colesterol e a absorção de glicose pelo sangue. 

 

*Sabrina Lima é nutricionista clínica, com CRN 11 9595. É graduada pela UniFanor e possui pós-graduação em Nutrição Pediátrica pelo Centro Universitário Estácio de Sá. Atua há 3 anos em nutrição clínica.