No Cariri, ministra Damares Alves é recebida com protestos e gritos contra Bolsonaro

Ela participa de audiência sobre estratégias de fiscalização e fechamento de instituição que atende mulheres com transtornos

Ministra Damares Alves cumpre agenda no Cariri
Legenda: Ministra Damares Alves cumpre agenda no Cariri
Foto: Antônio Rodrigues

De passagem pelo Ceará, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves, foi alvo de protestos no Geopark Araripe, na região do Cariri. No Crato, ela participa de uma audiência sobre estratégias de fiscalização e fechamento da Casa de Acolhimento Feminino Água Viva, instituição particular que atende mulheres com transtornos mentais.

Movimentos de defesa da mulher questionaram a visita da ministra e criticaram o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

A professora Verônica Isidorio, integrante da Frente de Mulheres do Cariri, disse que o protesto é também um apelo por melhor acolhimento para as mulheres.

“Como ela é uma mulher conservadora, nos achamos no dever de vir aqui expressar o outro lado da sociedade, uma lado que luta pelo direito das mulheres, da população LGBT, que quer superar o racismo existente na nossa sociedade e dizer “fora, Bolsonaro” e “fora, Damares”, afirmou. 

Mulheres protestaram no Crato
Legenda: Damares esteve no Geopark Araripe, onde participou de audiência
Foto: Antonio Rodrigues

Casa de acolhimento

A visita da ministra ocorre também porque, em 12 de agosto de 2021, 34 mulheres foram resgatadas em situação de cárcere privado, maus tratos e, ainda, sinais de abuso sexual no Crato. 

“Diferentemente dela, nós sempre acompanhamos esse caso. Fizemos o acompanhamento junto aos órgãos, provocamos o Ministério Público para notificar outros municípios (...) então estamos muito surpresas de ela ter se mobilizado agora, viemos aqui exatamente para saber o que ela veio fazer fazer. O que o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos traz para o Cariri?”, questionou. 

Sob vaias e protestos, a ministra não falou com os repórteres no local. A assessoria de imprensa informou que ela não irá se pronunciar. 

Protestos

Em menos de dois meses, dois ministros foram alvos de protesto em passagem pelo Ceará. Em agosto deste ano, um grupo de estudantes fez um ato contra o ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante a inauguração de um campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) na cidade de Itapajé, no sertão cearense.

Os alunos exibiam cartazes com frases como "Fora, Milton Ribeiro". À época, Ribeiro também não quis comentar o caso. 


Assuntos Relacionados