Bolsonaro na ONU: veja horário e como assistir ao discurso do presidente

O chefe do Executivo brasileiro será responsável pela fala de abertura da Assembleia Geral da ONU

Bolsonaro em evento em Nova York, com bandeira do Brasil do lado dele
Legenda: Bolsonaro abre o evento, que é sediado em Nova York
Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursa na abertura da 76ª Assembleia Geral da ONU nesta terça-feira (21). Evento acontece em Nova York, nos Estados Unidos e começa às 10h (horário de Brasília).

Bolsonaro chegou aos EUA com a comitiva presidencial nesse domingo (19). Nesta segunda-feira (20), ele se reuniu com líderes mundiais, entre eles o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, que recomendou ao presidente brasileiro a vacina da AstraZeneca contra a Covid-19.

O chefe do Executivo Nacional é o único do G20 que declarou publicamente não ter se vacinado contra a doença. 

Como assistir ao discurso de Bolsonaro na ONU?

A TV Brasil, quem possui opção para assistir online, transmitirá ao vivo discurso de Bolsonaro, assim como os canais Globonews e a CNN Brasil. 

No YouTube, o canal do portal Uol também transmite a fala de abertura do presidente na ONU. 

Expectativas 

A expectativa é de que o terceiro discurso do chefe do Executivo brasileiro na Assembleia Geral da ONU mostre o avanço da vacinação no País, ainda que ele não tenha se vacinado, e adote uma postura amena diante dos demais chefes de Estado. 

Temas como marco regulatório das terras indígenas e liberdade de expressão de grupos de direita em redes sociais também devem ser abordados.

Na última quinta (16), durante tradicional transmissão ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro prometeu um discurso “objetivo” e “tranquilo” na ONU. Há expectativa de que o presidente inicie mostrando esforços do Governo Federal em ampliar o número de vacinados contra a Covid-19 no Brasil. 

O Brasil está à frente dos EUA em proporção de vacinados com pelo menos uma dose (68,1% a 63%). Há no entanto, uma distância considerável em relação à taxa dos vacinados com duas doses (37% a 54%). A expectativa do Planalto é que até o fim de outubro o País tenha a maioria da população completamente imunizada