Terceirizados da Enel fazem paralisação por reajuste salarial, no José Walter

Funcionários afirmaram que os valores não são modificados há, pelo menos, dois anos

Escrito por Redação, negocios@svm.com.br

Negócios
Legenda: Categoria é responsável pelos serviços emergenciais da companhia, como panes, ligação e religação e pelo funcionamento da rede de energia elétrica no Estado, reivindica, também, aumento do valor do vale alimentação
Foto: VC Repórter

Funcionários terceirizados da Enel Distribuição Ceará realizam, nesta terça-feira (15), uma paralisação na Avenida Perimetral, no bairro José Walter, pedindo reajuste salarial e do vale alimentação. Os trabalhadores informam que os valores não são modificados há, pelo menos, dois anos, e buscam um diálogo com a empresa. A categoria é responsável pelos serviços emergenciais da companhia, como panes, ligação e religação e pelo funcionamento da rede de energia elétrica no Estado.

"Estamos aqui pedindo que eles façam o reajuste salarial e do vale refeição com um preço acima da inflação, não abaixo dela, como está atualmente", informou um dos funcionários terceirizados da Enel ao Sistema Verdes Mares.

De acordo com ele, aproximadamente 150 trabalhadores estiveram reunidos na manhã desta terça-feira (15), próximo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do José Walter. Parte deles, disse, deve ficar até o fim da tarde, e outro grupo permanecerá durante a noite, até que a situação se resolva.

Legenda: No mês de novembro, os trabalhadores fizeram outra paralisação, também pelos mesmos motivos
Foto: VC Repórter

Outra paralisação

No mês de novembro, os trabalhadores haviam realizado outra paralisação por causa do baixo índice de reajuste salarial oferecido - de 4% - e também pela proposta de retirada de alguns benefícios, que tinham sido conquistados pela categoria em convenções anteriores.

Entre os benefícios, estão a ajuda de custo em deslocamento superior a 100 quilômetros e o vale alimentação adicional para aqueles que fizerem mais de quatro horas extras. O salário de um funcionário terceirizado é de R$ 1.468.

Resposta

Por meio de nota, a Enel esclareceu que a distribuidora está concentrando todos os esforços para garantir os serviços emergenciais e prioritários e o atendimento de qualidade aos clientes.

Também reforçou que tem adotado rigorosos protocolos, de acordo com as indicações das autoridades sanitárias, para garantir a proteção de todos os colaboradores e parceiros que atuam em campo durante a pandemia.

Assuntos Relacionados