Milhas a vencer? Veja o que fazer com os pontos acumulados durante a pandemia

Roupas, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, artigos de perfumaria, doações a entidades beneficentes e passagens aéreas em data a marcar são opções para os consumidores

Legenda: Programar viagens pode ser uma opção para quem acumula milhas
Foto: Helene Santos

Com a pandemia, os planos de viagem de muitas pessoas foram frustrados com o fechamento das fronteiras, cancelamento de voos ou com a sensação de falta de segurança para viajar a outras cidades.

Mas quem estava planejando usar milhas acumuladas com passagens aéreas e ainda não tem planos de voltar a voar tem outras opções para aproveitar os benefícios antes que expirem.

Os programas de fidelidade oferecem também itens de varejo, como roupas, eletrodomésticos, eletroeletrônicos e artigos de perfumaria, entre outros, que podem ser pagos em parte ou totalmente com as milhas. 

Segundo Paulo Curro, diretor-executivo da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf), as empresas de fidelização têm adotado diversas estratégias para aumentar o engajamento e dar opções aos clientes.

"(As empresas estão) diversificando portfólio, ampliando ofertas de resgate com menor quantidade de pontos/milhas, investindo em tecnologia, aumentando a rede de parceiros de cada programa, além de prorrogar a validade dos pontos", explica. 

Alternativas para milhas acumuladas 

Para quem quer aproveitar a oportunidade para contribuir com a população mais carente, também é possível fazer doações a instituições beneficentes com as milhas.

“Basta acessar o site do programa e seguir alguns passos para que seus pontos/milhas se transformem em algo bom para outra pessoa também”, acrescenta Curro. 

Outra opção para os clientes é o resgate de passagens aéreas para serem usadas posteriormente.

“A flexibilização das regras pelas companhias aéreas tem permitido até que clientes comprem bilhetes e programem posteriormente a data de embarque, em alguns casos”.  
Paulo Curro
Diretor-executivo da Abemf

Dados da Abemf mostram que, no segundo trimestre de 2020, 100% das milhas chegaram a ser trocadas por produtos do varejo. No primeiro trimestre, o índice havia chegado a 30,9% e foi a primeira vez, no histórico da entidade, que esse indicador ultrapassou os 30%.  

No último trimestre de 2020, o valor caiu para 33% do resgate de produtos do varejo. O número de milhas emitidas atingiu a marca de 68 bilhões no período. 

Ainda vale a pena acumular pontos? 

De acordo com Curro, o cenário atual é um bom período para acumular pontos nas compras.

“O interessante em um programa de fidelidade é que ele oferece uma grande diversidade de opções aos participantes, que conseguem adequar os benefícios de acordo com suas necessidades e com o momento em que vivem”. 

Uma pesquisa da Abemf apontou que 59% dos participantes de programas de fidelidade afirmam que foi possível resgatar produtos e serviços que não teriam conduções de consumir. 

“A dica para todos é sempre que for comprar algum produto, seja no supermercado, na farmácia, no e-commerce ou em lojas físicas, verifiquem se há um programa de fidelidade próprio ou mesmo parceria com algum outro no qual já têm cadastro”, acrescenta o diretor.  

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios