Cearenses veem em Israel farinha de insetos para fabricação de biscoito

Empresas cearenses investem em novas pesquisas na criação do que se chama de alimentos do futuro

Empresas cearenses de alimentação- lideradas pela Betânia Lácteos e pela M. Dias Branco - já estão investindo nas novas tecnologias empregadas por instituições mundiais de pesquisa na criação do que já se chama de alimentação do futuro. Bem antes de 2050, a população do mundo chegará aos 9,5 bilhões de habitantes, que precisam ser bem alimentados em quantidade e, principalmente, em qualidade.

Nesta semana, o CEO da Betânia Lácteos, Bruno Girão, visitou em Israel a sede da The Tikchen, uma aceleradora de start ups do Grupo Strauss, o maior do mundo na área da pesquisa voltada para a alimentação. Girão impressionou-se com o que conheceu na sede da empresa israelense, de cujos cientistas ouviu a informação de que vem aí o fim do açúcar, da carne bovina e do ovo de galinha.

Antes de Girão, o vice-presidente de Investimentos e Controladoria do Grupo M. Dias Branco, Geraldo Luciano Matos Júnior, esteve em junho deste ano na mesma The Tikchen, onde se surpreendeu com uma pesquisa - em franco desenvolvimento, com resultados apontando para o êxito - em torno de uma farinha para a produção de biscoitos obtida de insetos.

Pode parecer estranho, mas é bom dizer que, na China e em outros países asiáticos, comer insetos é algo comum nos sofisticados restaurantes de Pequim ou Xangai. Este blogueiro comeu na capital chinesa, em companhia de empresários cearenses associados da Coopercon, escorpiões grelhados de excelente sabor como tira-gosto de bebidas destiladas. Na China é comum comer cobras e formigas em bons restaurantes.

O que Bruno Girão, nesta semana, e Geraldo Luciano Matos Júnior, em junho passado, viram na The Tikchen, em Israel, foi o que também se desenvolve no Silicon Valley, na Califórnia, onde também se desenvolvem pesquisas que já produzem, com sucesso, carne de boi sem boi e carne de frango sem frango, para o que utilizam as células-tronco desses animais.

Geraldo Luciano disse ao blog que, no próximo mês de janeiro, um grupo de acionistas e executivos do Grupo M. Dias Branco irá a Israel para conhecer mais detalhadamente o desenvolvimento das pesquisas da The Tikchen e de outras empresas de alta tecnologia que investem na descoberta e na produção de novos alimentos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios