De meditação a terapia: estudantes relatam como enfrentaram a ansiedade antes da prova do Enem

Após mudanças trazidas na preparação para o exame, jovens buscaram maneiras de reduzir os impactos da ansiedade na semana de véspera da prova

Legenda: Durante a véspera do Enem, a jovem buscou meditação, treinamento de respiração e apoio psicológico para reduzir efeitos da ansiedade
Foto: Felipe Mesquita

Com apenas quatro horas de sono, a estudante Thays Menezes, 19, precisou se preparar a semana inteira para conseguir estar presente neste domingo (17) de realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, tendo acompanhamento psicológico e treinando a respiração. Os efeitos da ansiedade, como o coração acelerado e a falta de ar, estavam presentes desde a última segunda-feira (11), afetando inclusive a véspera da prova. 

> Acompanhe todas as notícias sobre o Enem 2020

Era ansiedade demais, estava preocupada demais com essa prova, cheguei me coçando”, compartilha. Em meio à pandemia, relata ter sentido mais dificuldade no ensino remoto. Mesmo com toda a preparação no ano, seguindo um cronograma próprio de estudo, buscou meditar na semana para conter o temor de desmaiar ou sentir outro mal estar no momento da prova. Também fez sessões de terapia, mas confessa que só dormiu cerca de 3h durante esta noite.

“Esse ano foi bem complicado, lógico que normalmente a gente fica ansioso porque é uma prova importante, mas com todo esse cenário de agora agravou bastante”, reforça.

Legenda: No Colégio Estadual Liceu do Ceará, a jovem Maria Eriládia Araújo Lopes, 19, espera um bom resultado no Enem após ano de preparação com vídeo aulas online
Foto: Natali Carvalho

Assim como Thays, a estagiária Maria Eriládia Araújo Lopes, 19, comenta ter passado por diversas crises de ansiedade devido o Enem, sintomas que ainda foram agravados pela impossibilidade de poder ter aulas presenciais. Para compensar os receios quanto à preparação, ficou acompanhando vídeo aulas online no ano passado. 

“Eu não gostei muito (do ensino remoto). Na conversa com o professor cara a cara, você pode tirar dúvidas e também pode participar com seus colegas. Tem aquela troca mútua de conhecimento e isso está um pouco mais difícil”, aponta. 

A moradora do Cristo Redentor ainda chegou a conseguir uma vaga em curso preparatório para o vestibular. No entanto, com o cenário do coronavírus, as aulas foram canceladas. “Estavam tentando se encaixar, mas ficou muito complicado para eles”, detalha. 

Abertura dos portões

Os portões dos locais de prova do Enem 2020, aplicado neste domingo (17), abrem às 11h30min e fecham às 13 horas. A meia hora a mais para o acesso dos estudantes às salas, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), é para diminuir aglomerações e prevenir o contágio por covid-19 entre os candidatos — são mais de 5,7 milhões em todo o País e 325,7 mil no Ceará.

Com previsão de início às 13h30min e término às 19 horas, a prova deste domingo exige dos inscritos conhecimentos em Ciências Humanas, Linguagens e Códigos, e Redação.

Prevenção

Durante a realização da prova, seja no local de entrada ou na sala de aula, os candidatos ao Enem devem, obrigatoriamente, usar máscara, com o item de proteção cobrindo o nariz e a boca. Só será possível retirar no momento de identificação dos participantes e para comer e beber.

Quem estiver com Covid-19 ou sintomas da doença, bem como de outras infectocontagiosas, não devem prestar o exame agora. A situação deve ser informada ao Inep. A reaplicação do exame nos casos que se enquadrarem nesse perfil será nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab