Festival For Rainbow chega à 15ª edição celebrando a vida e a luta contra a homofobia

Em cartaz com filmes nacionais e estrangeiros dedicados à temática LGBTQIA+, evento conta com programação gratuita que também reúne espetáculos musicas, teatrais, ente outras expressões artísticas

Filme sobre transexualidade, “Transversais” investe na pluralidade de vozes e experiências, apresentando o depoimento de quatro pessoas trans que resgatam suas jornadas e autodescobertas
Legenda: Filme sobre transexualidade, “Transversais” investe na pluralidade de vozes e experiências, apresentando o depoimento de pessoas trans que resgatam suas jornadas e autodescobertas
Foto: Juno Braga e Linga Acacio

Um dos principais eventos culturais do Ceará completa 15 anos de história. O For Rainbow – Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual e de Gênero celebra a data reforçando a luta, esperança e alegria que marcaram sua jornada até aqui.  

De 19 a 25 de novembro, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC) sedia a programação gratuita do festival. Filmes nacionais e internacionais compõem as mais de 30 horas de exibição. Além da mostra audiovisual, o público terá espetáculos teatrais, performances, dança, música, literatura e debates. 

Ao abraçar o tema “15 Anos Vivas”, o For Rainbow ilumina a força do evento em se manter firme diante das adversidades. “Decidimos celebrar nossa resistência, nossa luta. Nossa revolução que não para nunca. Sempre existirá”, nos conta a idealizadora e diretora do festival, Verônica Guedes.  

A jornalista e cineasta alerta sobre o aumento nos dois últimos anos de assassinatos e ataques contra a população LGBTQIA+. O fim de políticas inclusivas denuncia que essa violência também é institucional. “Temos um presidente que diz que temos que apanhar, sermos mortos. Acreditamos que temos que celebrar muito estar vivas nesse momento tão difícil”. 

Cena de
Legenda: Cena de "Tatuagem", curta dirigido por Amanda Hecht
Foto: Divulgação

E os números da 15ª edição demarcam essa vitória. Foram 1.520 filmes inscitos, totalizando a participação de 101 países. Após o trabalho de curadoria, a Mostra Competitiva exibirá 24 curtas e oito longas-metragens de realizadores brasileiros e estrangeiros. 

Rico cenário 

A seleção das obras foi coordenada pelo jornalista e crítico de cinema, Diego Benevides. A comissão também contou com a cineasta baiana Ceci Alves e do realizador paulista Rosa Caldeira. Esse atravessamento de olhares estabelece um recorte precioso do cinema contemporâneo.   

Segundo Diego Benevides, a mostra reúne filmes que partem dos mais diversos lugares de pensamento e de realização, das produções feitas em universidades às que já percorreram festivais como Cannes e Berlim. 

Espetáculo
Legenda: Espetáculo "Das que ousaram desobedecer" (Cia. Bravia e direção de Herê Aquino) integra a programação que reúne outras expressões artísticas
Foto: Guilherme Silva

“Somadas tantas propostas narrativas e estéticas, penso que o resultado é pulsante, instigante e amoroso, tanto entre os selecionados estrangeiros, mas principalmente entre os brasileiros que resistem bravamente no cenário político atual”, descreve o curador. 

Os filmes concorrem a melhor “Curta-Metragem Brasileiro”, “Curta-Metragem Estrangeiro” e “Longa-Metragem”.  Cada mostra recebe o troféu Elke Maravilha, que será entregue em 10 categorias, incluindo “Melhor Filme”. 

Estreia aguardada 

A abertura do 15º For Rainbow traz o documentário “Transversais”, dirigido por Émerson Maranhão (“Aqueles Dois”) e produzido por Allan Deberton (“Pacarrete”). Estreia na cidade natal após toda uma batalha para ser realizado. Em 2019, o projeto foi alvo de censura do Governo Federal.   

“Transversais” participava de um edital de projetos para TVs públicas e concorria ao investimento para séries com temática LGBTQIA+. O edital foi suspenso após ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).  

Desde que fomos censurados publicamente, entendemos que não era uma coisa pontual, era sistemático. Por isso mesmo era preciso lutar pela liberdade de expressão, que é um dos pilares democráticos. E assim o fizemos. Não deixa de ser sintomático que ‘Transversais’ ganhe as telas num momento em que estamos todos sob ataque. A liberdade de expressão, a democracia, a população LGBTQIA+, a cultura, a civilidade. Resistir, para nós, é artigo de primeira necessidade
Émerson Maranhão

Após o corte, os idealizadores recorreram a outras vias de financiamento. Pensado inicialmente como série, “Transversais” passou a ser longa. Com apoio do edital da Lei Aldir Blanc no Ceará o documentário foi finalizado. Em cena, cinco comoventes histórias de pessoas com diferentes vivências. Em comum, a transexualidade e as experiências que reforçam as vitórias e relações afetivas destes personagens.  

“Transversais” estreou na 45º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e também será exibido no Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade. Integra a competição do próximo Festival Cine Ceará e tem previsão de exibição no circuito comercial em 2022. Estar no For Rainbow é a concretização de uma luta 

“A expectativa é enorme. É a primeira vez que a equipe assistirá ao filme pronto, assim como 4 dos 5 protagonistas, porque o Kaio Lemos assistiu a uma sessão da Mostra, em São Paulo. Além disso, estrear em casa, no estado em que ele foi rodado, aumenta muito essa expectativa. E abrir um festival é muito prestigioso, não é? Ainda mais a 15 edição do For Rainbow, que é um festival importantíssimo, respeitado e com o qual tanto eu quanto Allan temos uma relação de muito carinho. Enfim, tenho certeza que será uma sessão muito especial”, completa Émerson Maranhão. 

Conquistas 

Verônica Guedes explica que o For Rainbow nasceu com a missão de lutar contra o preconceito e unir a Fortaleza de tantas desigualdades. É uma estrada árdua. Segundo a organizadora, para conseguir financiamento e realizar o evento é preciso começar do zero todo ano.

 

“É muito cansativo. Ontem mesmo estávamos lembrando da vez em que tive que vender o carro para pagar o pessoal que trabalha no festival, pois o recurso não saiu. Ou o ano em que tivemos, a produção toda, que comer só cachorro-quente por mais de um mês (...). Isso tudo faz parte do que escolhemos. O For Rainbow é um festival de militância".

Toda essa dedicação consolidou o reconhecimento internacional e a marca do projeto como um dos mais importantes espaços de debate e difusão do respeito à pluralidade sexual e de gênero no Brasil. No âmbito local, Verônica Guedes reflete que estes quase 20 anos de história se entrelaçam com a cultura do Estado. 

Cena do documentário
Legenda: Cena do documentário "Assim como o ar, sempre nos levantaremos"

“Nesses 15 anos, muita coisa boa aconteceu. Muitas mudanças e acho que em termos de audiovisual cearense, as pessoas passaram a produzir mais filmes com essa temática. Em termos gerais, o Ceará avançou em políticas para o audiovisual. Temos escolas, duas universidades, O Porto Dragão, a Vila das Artes. Muita coisa mudou” 

Com isso, a 15ª edição do For Rainbow quer celebrar a vida. “Queremos confirmar nossa luta. Penso que uma das coisas que mais incomoda esse povo preconceituoso e LGBTfóbico é nossa alegria. E dela não vamos abrir mão. Seremos assim mesmo. Alegres, pintosas, espalhafatosas, coloridas. Do jeito que acharmos que deve ser. Que qualquer pessoa achar que deve ser”, finaliza Verônica Guedes. 

Serviço:

15° Festival For Rainbow – Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual e de Gênero. De 19 a 25 de Novembro
No Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema). Gratuito. 

Todos os ingressos do For Rainbow serão distribuídos na bilheteria do Dragão do Mar somente na data de realização de cada atividade e cada pessoa/CPF poderá retirar até dois ingresso por programação. Horários aqui. Mais informações: www.forrainbow.com.br
 

Programação

19/11 – Sexta

18h40 – Cinema do Dragão (Sala 2)
Abertura.

Mostra Competitiva Internacional de Curta e Longa-Metragem:

“Transversais” (Trans, 1h25min, Brasil, 2021). Dir.: Émerson Maranhão.

21h – Gandaia Club
Festa de Abertura.

20/11 – Sábado

14h – Cinema do Dragão (Sala 2)
Mostra Feminino Plural.

“Arreda Homem que Chegou Mulher” (25min, Dir.: Renata Monte),
“Mulheres em Movimento” (1h8min, Dir.: Juliana M. Streva).

17h40 – Arena Do Dragão Do Mar
Performances | Dança.

18h40 – Cinema do Dragão (Sala 2)
Mostra Competitiva Internacional de Curtas e Longas-Metragens:

“Quando Chafurdei na Tijela do Sol” (Mulher Trans, 25min, Filipinas, 2021), Dir.: Kukay Zinampan.
“Rei Max” (Drag Queen, 21min, França, 2021), Dir.: Adèle Vincenti-Crasson.
“Time de Dois” (Gay, 11min, Brasil, 2021), Dir.: André Santos.
“Mormaço” (Lésbica, 11min, Brasil, 2021), Dir.: Carol Lima.
“Fora do Aquário” (Gay, 25min, Alemanha, 2021), Dir.: Alex Mello.
“Baja Abaixo” (Lésbica, 1h20min, EUA, 2021), Dir.: Anderson Matthew.

22h – Teatro do Dragão do Mar
Show. Verônica Vallentino e Yasmim Shirran.

21/11 – Domingo
14h – Cinema do Dragão (Sala 2)

Mostra Feminino Plural.

“Tatuagem” (Brasil, 2021, 7min), Dir.: Amanda Hecht,
“Isto Não é. Uma Musa” (Brasil, 2021, 28min), Dir.: Thais DeMelo).
“Ocupa” (Brasil, 2020, 25min), Dir.: Juliana Pfeifer.
“Memórias Reveladas: os jornalistas cearenses vítimas da ditadura militar 1964/1985” (Brasil, 2021, 26min), Dir.: Marilena Lima.
16h30 – Teatro do Dragão do Mar

Mostra Feminino Plural.

Espetáculo. “Das que ousaram desobedecer” da Cia. Bravia (Dir.: Herê Aquino).

17h30 – Arena do Dragão do Mar

Lançamento Cartilha “Além do Básico” (Alunas da Oficina de Artevismo para Mulheres da Escola Livre de Artevismo para Mulheres – BORAÍ).

18h40 – Cinema do Dragão (Sala 2)

Mostra Competitiva Internacional de Curtas e Longas-Metragens.

“Outras Histórias do Homem que Não Estava Lá” (LGBT , 11min, Filipinas, 2019), Dir.: Trishtan Perez.
“Antígona Pajubá” (Mulher Trans, 9min, Brasil, 2021), Dir.: Fabrício Boliveira.
“Assim é a Natureza” (LGBT , 5min, Suíça, 2021), Dir.: Marcel Barelli.
“A Máquina de Lavar” (Bissexual, 7min, Espanha, 2021), Dir.: Diane Malherbe.
“Elle” (Lésbica, 8min, França, 2021), Dir.: Liliane Mutti e Daniela Ramalho.
“A Casa do Amor” (Mulher Trans, 1h17min, Itália, 2020), Dir.: Luca Ferri.
“A Banca” (Gay, 1h, Namíbia, 2020), Dir.: Philippe Talavera.
22h – Arena do Dragão do Mar

Show. Jocasta e convidadas

22/11 – Segunda
15h – Youtube For Rainbow

Mostra Educativa.

17h40 – Arena do Dragão do Mar

Performances | Dança.

18h40 – Cinema do Dragão (Sala 2)

Mostra Competitiva Internacional de Curta e Longa-Metragem:

“Malattesa” (Não-Binárie, 9min, Itália, 2020), Dir.: Gianni Gentile e Giorgia Colonna.
“Praia dos Crush” (Lésbica, 15min, Brasil, 2021), Dir.: Marieta Rios Freitas.
“B Não é de Biscoito” (Bissexual/Trans, 16min, Brasil, 2020), Dir.: Hilda Lopes Pontes e Chris Mariani.
“E Mais Dois” (Gay, 20min, Irã, 2021). Dir.: Alireza Mohammadi.
“Downpression” (Homem Trans, 10min, Brasil, 2019). Dir.: Assaggi Piá e Rodrigo Mends.
“Céu de Agosto” (Lésbica, 17min, Brasil, 2021). Dir.: Jasmin Tenucci.
“Vagalumes” (Gay, 19min, Brasil, 2021). Dir.: Léo Bittencourt.
“Manual de Sobrevivência” (Homem Trans, 1h12min, Alemanha, 2021), Dir.: Yana Ugrekhelidze.
22h – Arena do Dragão do Mar

Festa com DJs.

23/11 – Terça
14h – Cinema do Dragão (Sala 2)

Exibição Especial. Filmes Cearenses.

“Eu Não Te Amo Mais”, 10min, Dir.: de Yasmin Gomes.
“Capitais”, 11min (Dir.: Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha).
“A Mulher da Pele Azul”, 12min (Dir.: Esther Arruda e Pedro Ulee).
“Boca de Loba”, 19min, Dir.: Barbara Cabeça.
“A Beleza de Rose”, 20min, Dir.: Natal Portela.
17h40 – Arena do Dragão do Mar

Performances | Dança.

18h40 – Cinema do Dragão (Sala 2)

Mostra Competitiva Internacional de Curta e Longa-Metragem:

“Park Slope” (Gay, 18min, Brasil, 2021), Dir.: Felipe André Silva.
“Quero Ser Helena” (Bissexual, 11min, Brasil, 2020), Dir.: Sunslly Marques.
“Pokett Nery – Rainha do Samba Junino” (Mulher Trans, 25min, Brasil, 2021), Dir.: Fabíola Aquino Coelho.
“Ausência” (Lésbica, 3min, Brasil, 2020), Dir.: Alexia Araujo.
“Antes do Natal” (Gay, 15min, EUA, 2021), Dir.: Dazhi Huang.
“Euzinho” (LGBT , 6min, EUA, 2021), Dir.: Evan Bode.
“Perdidas no Tempo” (Lésbica, 13min, Austrália, 2021), Dir.: Megan Ellis.
“Alma de Dois Espíritos” (Mulher Trans, 1h19min, Panamá, 2021), Dir.: Fernando Muñoz e Raphael Salazar.
22h – Arena do Dragão do Mar

Show. Essas Mulheres e Macaúba do Bandolim.

24/11 – Quarta
14h – Cinema do Dragão (Sala 2)

Exibição Especial:

“Brenda Lee e o Palácio das Princesas” (Brasil, 2021, Dir.: Zé Henrique de Paula, 1h45min)

17h40 – Arena do Dragão do Mar

Performances | Dança.

18h40 – Cinema do Dragão (Sala 2)

Mostra Competitiva Internacional de Curta e Longa-Metragem:

“A Cidade dos Abismos” (Mulher Trans, 1h36min, Brasil, 2021), Dir.: Priscyla Bettim e Renato Coelho.
“Assim como o Ar, Sempre nos Levantaremos” (LGBT , 1h10min, Brasil, 2021), Dir.: Clara Angélica.
22h – Arena do Dragão do Mar

Show. Festa Crioula.

25/11 – Quinta
19h – Teatro do Dragão do Mar

Encerramento e Premiações.

Show de Encerramento. “Fases”, de Jeffe.

 

 

 

 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados