Procurador que espancou a chefe com socos em São Paulo vira réu por tentativa de feminicídio

Demétrius Oliveira de Macedo terá 10 dias para apresentar defesa prévia à Justiça

procuradora agredida com socos em Registro, no Interior de São Paulo
Legenda: Violência dentro da Prefeitura de Registro foi filmada e em seguida divulgada nas redes sociais

A Justiça de São Paulo aceitou, nessa terça-feira (28), a denúncia do Ministério Público estadual e tornou réu o procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, por tentativa de feminicídio contra a colega Gabriela Samadello Monteiro de Barros, 39.

Conforme a decisão do juiz Raphael Ernane Neves, da 1ª Vara do município Registro, onde a vítima foi espancada, o acusado terá o prazo de 10 dias para apresentar sua defesa prévia.

O MP considerou a ocorrência como "evidente intento homicida", isto é, o homem tentou assassinar Gabriela enquanto a agredia com socos. O órgão descreve que o crime não foi concretizado por "circunstâncias alheias a vontade do agente".

Para Raphael Ernane Neves, o "Ministério Público apresentou descrição suficiente dos fatos criminosos relacionados à ofensa à integridade corporal", destacou, na decisão.

Entenda o caso

Gabriela Samadello Monteiro Barros, procuradora-geral de Registro, foi agredida por Demétrius com cotoveladas e socos no último dia 20 de junho. O ato consta em vídeo divulgado nas redes sociais.

A violência teria sido motivada após ela abrir um processo administrativo contra o procurador por conta de maus-tratos dele contra uma funcionária. Já ele alegou sofrer assédio moral no ambiente de trabalho. 

O homem chegou a ser preso no mesmo dia, mas foi solto pela Polícia Civil por não haver situação de flagrante. No dia 23, porém, ele voltou a ser detido por força de um mandado judicial. Ele estava internado em um hospital psiquiátrico, onde alegou ter problemas mentais.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil