Agressor de procuradora no trabalho é solto por "não haver situação de flagrante"

Demétrius Oliveira Macedo foi ouvido pela Polícia Civil e liberado

Agressão
Legenda: Homem que agrediu procuradora-geral é solto
Foto: Reprodução

O procurador Demétrius Oliveira Macedo, preso por espancar a procuradora-geral do município de Registro, no interior de São Paulo, Gabriela Samadello Monteiro Barros, foi solto após ser ouvido pela Polícia Civil.

Em entrevista nesta quarta-feira (22) à TV Tribuna, afiliada à Rede Globo, o delegado do 1º Distrito Policial da cidade, Fernando Carvalho Gregório, disse que o procurador-geral admitiu a agressão e falou sobre a relação com os colegas no ambiente de trabalho. 

“Ele admitiu que agrediu a vítima e alegou que assim o fez por sofrer assédio moral”, disse. Ainda conforme o delegado, o agressor foi liberado porque não houve flagrante. “Eu entendi que não havia uma situação de flagrante, e sim um fato criminoso. É claro que precisa ser apurado. Por isso, fizemos o registro de ocorrência e tomamos todas as diligências cabíveis na ocasião”, afirmou. 

Gregório disse que o caso está sendo analisado pelo Poder Judiciário (PJ) e o Ministério Público (MP). “Ao final de todos os trabalhos, chagaremos a uma conclusão das investigações num processo, e uma eventual condenação”, completou. 

Entenda o caso

Gabriela foi agredida por Demétrius na última segunda-feira (20) no interior da Prefeitura. A mulher recebeu uma cotovelada e socos no rosto. Uma funcionária tentou impedir o ato violento, mas foi empurrada contra a porta. Ele só parou no momento em que dois outros funcionários do setor jurídico ouviram os gritos e entraram na sala. 

A violência teria sido motivada porque ela abriu um processo administrativo contra o procurador por conta de maus-tratos dele contra uma funcionária. Um video do ataque viralizou nas redes sociais.

Por meio de nota, a gestão municipal de Registro manifestou "o mais absoluto e profundo repúdio aos brutais atos de violência realizados pelo procurador municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de procuradora-geral do município".  

Exoneração

O procurador foi afastado do cargo inicialmente por 30 dias nesta quarta-feira (22) e teve o salário suspenso, conforme consta no Diário Oficial do Município.

Conforme informação do G1, a Prefeitura de Registro disse que essa medida faz parte do processo administrativo que deve resultar na exoneração de Demétrius. “É necessário seguir essa etapa e os tramites legais para que a decisão seja tomada de maneira consistente”, esclareceu. 

 
 
Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil