Israel começa a flexibilizar isolamento social neste domingo (6)

O confinamento começará a ser suspenso de forma progressiva, porém os voos internacionais seguem proibidos

Campanha de vacinação em Israel começou em dezembro, na foto uma mulher segura a vacina contra Covid-19
Legenda: Desde dezembro o país lançou uma ambiciosa campanha de vacinação, na qual 3,3 milhões de pessoas já foram imunizadas
Foto: AFP

O confinamento em Israel vai começar a ser suspenso progressivamente a partir deste domingo (7). O governo anunciou a medida na última sexta-feira (5), mas informou que os voos internacionais continuarão suspensos até o dia 20 de fevereiro e as fronteiras terrestres permanecerão fechadas até segunda ordem.

"O governo aceitou a proposta do primeiro-ministro e do ministro da Saúde de relaxar as medidas de confinamento a partir de domingo", disse o gabinete do chefe do governo em nota divulgada nesta sexta-feira. 

A partir de domingo, os cidadãos poderão se deslocar mais de um quilômetro de suas casas e alguns serviços, como de cabeleireiros, estarão abertos novamente.  Parques e reservas naturais também serão reabertos com restrições e restaurantes poderão preparar comida para viagem.

3,3 milhões de pessoas imunizadas

O país já decretou confinamento rígido em quatro ocasiões e desde dezembro lançou uma ambiciosa campanha de vacinação, na qual 3,3 milhões de pessoas já receberam pelo menos uma das duas doses do imunizante contra a Covid-19.

No entanto, apesar das restrições, janeiro foi o mês mais letal da pandemia, com mais de 1.000 mortes. De acordo com o último balanço do Ministério da Saúde, o país de 9 milhões de habitantes registrou mais de 675 mil casos e 5.019 óbitos. Diariamente, Israel continua registrando cerca de 6.500 novas infecções.

Remédio contra Covid-19

Um hospital israelense alega ter achado um medicamento que cura a Covid-19. Pesquisadores do Hospital Ichilov, em Tel Aviv, anunciaram, nesta quinta-feira (4), que os resultados positivos em ensaios preliminares em pacientes chegaram a 95%.  As informações são do jornal Yedioth Ahronoth baseado no canal estatal local KAN News.

O professor Nadir Arber, do Centro Integrado de Prevenção ao Câncer do hospital, testou um medicamento em pacientes com condições moderadas ou sérias do vírus. O resultado chegou a 95%, conforme Arber, que desenvolveu a substância. 

O medicamento, chamado EXO-CD24, deve ser administrado diariamente uma vez por dia durante cinco dias. O remédio está em sua primeira fase clínica e foi testado pela primeira vez em seres humanos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo