Número de mortos em enxurrada na Bahia sobe para 18 neste domingo (26)

Conforme o Corpo de Bombeiros do Estado, um homem morreu por afogamento após o cabo de aço que prendia a balsa em que estava à terra se romper

Itambé
Legenda: Prefeitura de Itambé alerta regiões sobre o rompimento de barragem com alto volume de água
Foto: Reprodução/Redes sociais

O número de mortos decorrentes da enxurrada na Bahia subiu para 18 neste domingo (26), conforme informações do assistente do comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado, coronel Jadson Almeida.

A 18ª vítima é um homem, dono de uma balsa, que foi levado pela correnteza no Rio das Contas, no município de Aurelino Leal.

Ainda segundo o coronel, o homem faleceu por afogamento após o cabo de aço que prendia a balsa à terra se romper.

Rompimento de barragem

As chuvas provocaram o rompimento de uma barragem com alto volume de água na região, fazendo a Prefeitura de Itambé emitir alerta na noite deste sábado (25).

O comunicado nas redes sociais, que também informava sobre forte enxurrada, pediu que moradores da margem do rio Verruga fossem retirados com urgência.

A barragem fica no distrito de Iguá, em Vitória da Conquista, município que fica a quase 60 km de distância, mas o córrego da barragem também atinge rios que chegam até Itambé. No Estado, o mau tempo nas últimas semanas também já deixou 17 mortos, 286 feridos e ao menos 15, 4 mil sem casa. A população atingida, no total, supera 378 mil pessoas.

Segundo a prefeitura de Vitória da Conquista, apesar da seriedade do rompimento da barragem, não houve feridos nem foram registrados graves prejuízos para as localidades nas proximidades.

A gestão havia avisado com antecedência a população local. Além disso, assim que teve conhecimento do rompimento, também avisou Itambé.

Desde novembro, a cidade tem recebido alertas e grandes precipitações de chuvas em curto período de tempo, o que provocou alagamentos em várias bairros da cidade.

Enchentes

No momento, diversas cidades da Bahia estão em alerta em razão dos fortes temporais. Após as chuvas iniciadas na noite de quinta-feira (23), o número de desabrigados e desalojados cresceu.

Até a tarde da sexta-feira (24), a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec) e as prefeituras dos municípios atingidos registraram 4.185 desabrigados e 11.260 desalojados.

O número de feridos era de 286 e a população total atingida chegava a 378.286.

Na noite de sábado, Salvador acionou as sirenes de alerta no Bosque Real, em Sete de Abril, e Moscou, em Castelo Branco, diante do risco de deslizamento.

A Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra) também monitora a situação das rodovias estaduais atingidas pelas chuvas durante o fim de semana. A equipe técnica acompanha as ocorrências registradas em ao menos 17 trechos de vias em seis diferentes regiões baianas.

Ainda na no sábado (25), uma força-tarefa, formada pelo governo federal, governo da Bahia, secretários estaduais e municipais, discutiu as ações de socorro às cidades baianas atingidas pelas fortes chuvas.

"O momento é de solidariedade e trabalho. As diferenças políticas precisam ser deixadas de lado e todos precisam estar unidos para ajudar às vítimas das enchentes", disse o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

Ajuda dos Estados

Equipes do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte seguiram para Ilhéus, também levando aeronaves e equipamentos para se juntar à operação. O governo do Ceará também enviou efetivo para auxiliar às vítimas das enchentes. 

O governador de São Paulo, em exercício, Rodrigo Garcia (PSDB), também autorizou, na manhã de sábado, o envio de uma força-tarefa.

Ao todo, 36 profissionais do Corpo de Bombeiros e do Comando de Aviação da Polícia Militar também devem seguir para Ilhéus para atuar em uma operação integrada com outras forças de segurança. Espírito Santo e Maranhão já indicaram que vão prestar auxílio.