Psyllium: o que é, para que serve e como tomar

Fibra solúvel é indicada para movimentos intestinais e pode ser encontrada em farmácias

Colher com Psyllium misturada com água
Legenda: Psyllium pode ser tomada com água, sucos e até por meio de medicamentos
Foto: Shutterstock

Extraída da casca de sementes da planta Plantago ovata, o Psyllium é uma fibra solúvel bastante utilizada para estimular movimentos intestinais, ajudando em questões como absorção de água no corpo, por ser higroscópica, ou até mesmo na prisão de ventre.

Diferente dos chás, que são mais naturais e podem ser encontrados em diversos locais, esta fibra só é comercializada em farmácias e drogarias, com recomendação de uso apenas para quem possui indicação médica.

Segundo a nutricionista Neu Silveira*, é importante entender as características para saber como utilizá-lo. "O Psyllium é considerado um prebiótico, pois não é digerido pelo trato gastrointestinal superior e intestino delgado, mas sim fermentado e metabolizado pela flora intestinal no intestino grosso", define.

Para quê serve?

Entre as funcionalidades do Psyllium, está a de auxiliar na regularização dos movimentos intestinais. Dessa forma, ele pode ser recomendado por profissionais da saúde para maior absorção de água no corpo, como já citado, para regular o funcionamento do intestino e até mesmo para prisão de ventre.

Além disso, corrobora a nutricionista Neu Silveira, ele tem a importante função de diminuir o colesterol ruim e a glicemia após as refeições, por exemplo. 

"O principal mecanismo pelo qual há a redução do colesterol, é que as fibras, ao chegarem no intestino junto a uma refeição rica em lipídios, aprisionam os sais biliares liberados pela bile, e que são utilizados na digestão e metabolização das gorduras, promovendo assim menor absorção das gorduras dietéticas, menor reabsorção dos ácidos biliares e maior excreção dos sais biliares intactos pelas fezes", relata.

Fibra solúvel Psyllium em colher de madeira
Legenda: Psyllium é comumente encontrado em farmácias e drogarias
Foto: Shutterstock

Isso acontece, cientistas explicam, porque o Psyllium ajuda a reduzir a absorção de gorduras e também do açúcar dos alimentos ingeridos normalmente. Confira na lista os benefícios do Psyllium:

  • Traz saciedade ao organismo quando é ingerido com água, já que é responsável por fazer um volume no estômago;
  • Pode ser utilizado na síndrome do intestino irritável e em casos de constipação, já que é extremamente rico em fibras. O estimado é que cada 100 g de Psyllium contêm 80 g de fibras;
  • Se consumido diariamente, pode reduzir problemas clínicos relacionados à doença coronariana;
  • É beneficial para a flora intestinal;
  • Pode auxiliar no controle da glicemia, retardando a absorção do açúcar pelo corpo;
  • Atua diretamente nos níveis saudáveis de colesterol e triglicerídeos;

Emagrece?

Como a perda de peso está intimamente ligada às questões que envolvem a saúde intestinal, o Psyllium muitas vezes é citado como importante aliado no processo de emagrecimento.

Conforme Neu Silveira, um estudo de 2016 mostrou que após 8 semanas de tratamento com a suplementação de Psyllium (10,5 g por dia), houve uma redução significativa no IMC do grupo da intervenção quando comparado ao grupo controle.

No geral, nutricionistas apontam que esta fibra concede um volume maior, facilitando a passagem no organismo e acelerando o tempo de trânsito dos alimentos no trato digestivo. Assim, o metabolismo corporal trabalha em uma maior velocidade.

Nesse quesito, ele também age por outra frente: na saciedade. Saciada por mais tempo, a pessoa que o consome acaba optando por menor volume de comida, retirando da rotina o hábito de várias refeições desregradas.

Como usar o Psyllium?

Antes mesmo de saber como consumir o Psyllium, é importante atentar ao fato de que uma grande ingestão de fibras pode acarretar problemas de constipação, dores abdominais e gases, por exemplo. 

Para adultos e crianças maiores de 12 anos, na maioria dos casos, o indicado é que 5g de Psyllium sejam acrescentadas em 240 ml de água. A ingestão, claro, fica a cargo da indicação médica, mas geralmente deve ser feita entre uma ou três vezes ao dia.

Planta Plantago ovata
Legenda: Psyllium é proveniente da planta Plantago ovata
Foto: Shutterstock

Enquanto isso, para crianças entre 6 e 12 anos, a recomendação é de que o consumo seja menor, em somente até duas vezes ao dia.

Nesse ponto, o mais lembrado por especialistas é que o tratamento não deve ultrapassar a marca de sete dias seguidos, exceto os casos em que o acompanhamento médico prescrevê-lo. "Busque um nutricionista capacitado para orientar a melhor forma de uso de acordo com seu objetivo, seja para a melhora da constipação, de parâmetros lipídicos, glicídicos ou mesmo para otimizar a perda de peso", lembra a nutricionista. 

O efeito, apontam estudos da área, ocorre geralmente entre 12 e 72 horas após a ingestão da primeira dose da fibra. 

Contraindicações

Além da facilidade de ser tomado, o Psyllium não parece apresentar tantos problemas para quem deseja consumi-lo. Segundo profissionais da área, ele só é contraindicado para crianças abaixo de 6 anos, pessoas com problemas para engolir ou bloqueio no intestino e prisão de ventre.

Para os diabéticos, o uso também não é indicado em grandes quantidades, justamente por conta do açúcar presente na composição desta fibra. Já as pessoas com alergia a esta fibra, claro, devem permanecer longe dela. 

No caso das gestantes, assim como para a maioria das pessoas, o Psyllium só é indicado com acompanhamento médico, o que deve eliminar os riscos analisando o histórico de cada paciente. 

*Formada em nutrição pela Universidade Estadual do Ceará. Especialista em Fisiologia Humana pelo Instituto de Ciências Biomédicas na UECE. Hoje atua na área clínica junto à equipe Coimbra Life Up, na docência e na pesquisa científica.