Conheça os três modelos propostos para retomada do ensino presencial no Ceará

De forma participativa, a Seduc elaborou um documento que servirá de base para os municípios

Legenda: No novo modelo aplicado, alunos terão aulas presenciais e remotas em um mesmo dia
Foto: Eduardo Matos

O avanço do cenário epidemiológico possibiltou a retomada gradativa no ensino presencial em algumas cidades do Ceará. Crato, na região do Cariri, e Fortaleza, são dois municípios que já iniciaram o retorno híbrido das aulas. Para garantir uma retomada segura, a Secretaria da Educação do Estado (Seduc) elaborou um guia com três propostas de modelos independentes a serem adotados pelas cidades.

Apesar da orientação, a Seduc adverte que "cabe a cada município cearense o gerenciamento das suas escolas" e que os gestores possuem autonomia para escolher um dos três modelos: Rotação por estações, Laboratório Rotacional ou Sala de Aula Invertida. 

Saiba mais sobre os três modelos:

Rotação por estações

Conteúdo da aula é dividido em estações distintas dentro da sala de aula para desenvolver diferentes objetivos de aprendizagem, mas que funcionam de forma complementar. Ao professor caberá o papel de mediar os grupos e dirimir as dúvidas que possam surgir durante o processo.

  • Característica: Esse modelo reforça a autonomia do aluno ao propiciar situações em que ele adquirirá o conteúdo sozinho ou em pequenos grupos, através de questionamentos, desafios apresentados pelo professor em cada estação. 

Laboratório Rotacional

O conteúdo da aula é dividido em 2 espaços distintos de aprendizagem: um laboratório com uma lista de atividades mediadas por tecnologia digital, e outro na sala de aula com a supervisão do professor. Os grupos de alunos irão passar por ambas as estações.

  • Característica: O modelo faz com que um grupo atue de forma autônoma, com uso de tecnologia digital, e o outro seja assistido pelo professor, que pode reforçar e trabalhar com os conceitos e solucionar dúvidas.

Sala de Aula Invertida

É o modelo que inverte a forma tradicional de desenvolvimento da aprendizagem. O que era feito em casa, agora é feito na escola e vice-versa. Neste modelo, o professor envia previamente o material, sendo por meio digital ou por meio de um conteúdo impresso sobre o assunto que será discutido em aula. Ele usa do momento presencial para verificar a aprendizagem do aluno.

  • Característica: O professor aproveita o momento presencial para sanar dúvidas, reforçar conceitos, aplicar práticas do conhecimento, promover interações em grupo etc. Nesse formato, trabalha-se no aluno uma importante noção de protagonismo de sua aprendizagem, absorvendo o conteúdo de maneira direcionada, porém autônoma.

A elaboração do Guia foi desenvolvido de "forma colaborativa e participativa, após seminários realizados nas 20 Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação com os dirigentes municipais. A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação/Ceará também colaborou com esse processo, fazendo uma leitura crítica do material", destacou a Seduc.

Essas propostas integram o “Guia Mais Paic de Orientações Para a Implementação do Ensino e do Retorno ao Presencial”. O documento tem por objetivo "apoiar as redes municipais no planejamento e na organização dos processos educativos nas escolas, para o momento de transição do ensino remoto para o presencial".

Proposta escolhida

O modelo 'sala de aula invertida' foi o escolhido pela Secretaria da Educação do Crato, cidade da região do Cariri cearense. A proposta passou a vigorar nesta segunda-feira (8). O modelo adotado pela Secretaria do Município será aplicado de forma escalonada. Alunos terão, no mesmo dia, aulas presenciais e virtuais. 

Segunda a titular da Secretaria do Crato, Germana Brito, o modelo é considerado "o mais viável" no momento e, ainda conforme sua avaliação, garante "total segurança aos alunos e professores"

No modelo 'invertido' adotado em Crato, parte dos alunos das séries do 2°, 5° ao 9° ano do fundamental, Infantil V e Educação de Jovens e Adultos (EJA) terão aulas presenciais até as 9h30 e, após este período, eles retornam para casa para assistirem aulas virtuais. Germana explica que o modelo foi escolhido devido a "a estrutura disponível" no Município. 

No período da tarde, o mesmo cronograma se repete com os demais alunos. Serão, em cada turno, atendidos 50% dos estudantes de cada classe

2h30
Os estudantes terão 2h30 de aulas presenciais. Após este período eles recebem a merenda e escolar e retornam para casa para assistirem mais 1h30 de aulas remotas. O modelo se aplica aos turnos da manhã e tarde.

Questionada se não seria mais viável que a carga horária daqueles alunos que já se deslocaram às escolas fosse cumprida integralmente de forma presencial, Germana considera que não e acrescenta que "nenhum aluno terá prejuízo de carga horária".

"O primeiro período, onde as aulas são presenciais, será usado para tirar dúvidas e dar assistência aos alunos. Logo após, os professores ministram as aulas remotas, para todos. Caso elas fossem presenciais, aproveitando a presença de parte dos alunos, como os que estão em casa teriam acesso ao conteúdo?", explica.

Não podemos fazer unicamente presencial pois temos que garantir que o conteúdo chegue de forma igualitária a todos e isto, neste momento, só é possível, de forma virtual.
Germana Brito
Secretária da Educação de Crato

"Modelos são adaptativos"

Para Aurila Freire, do Conselho Estadual de Educação não há "um modelo melhor que outro". Todos foram pensados e desenvolvidos de modo a garantir a continuidade do elo ensino-aprendizado com segurança aos alunos e docentes.

A opção por um destes modelos, ainda segundo Aurila, deve ocorrer baseado nas disponibilidades estruturais e tecnológicas de cada município. "Estamos em um momento de reinvenção. Portanto, eles são adaptativos à realidade do município, mas todos são interessantes", pontua. 

Aurila também destaca que a orientação nacional, emitida através do Conselhho Nacional de Educaçãi (CNE), é de que a "retomada das aulas siga o protocola da Secretaria [estadual] da Saúde evitando aglomerações e garantindo a segurança de todos. Voltar é importante, mas não se pode retornar todos de uma vez, por isso a importância dos modelos". 

Educação infantil

Além do documento com os diferentes modelos de retomada, a Secretaria da Educação (Seduc) também lançou o “Guia Estratégico para implementação do Contexto Híbrido e retorno ao presencial na Educação Infantil: vínculo escola-família” cujo objetivo é nortear ações de diretores, coordenadores e professores para o acolhimento de bebês e crianças. 

Trata-se de um instrumento construído de forma conjunta e colaborativa com os municípios cearenses.
Seduc

Legenda: A retomada teve início pelas séries do 2°, 5° ao 9° ano do fundamental, Infantil V e Educação de Jovens e Adultos (EJA)
Foto: Eduardo Matos

A importância dessa atenção para com as crianças e a estratégia da retomada iniciar pela educação infantil são destacadas de forma positiva por Mariana Luz, CEO da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

"Esta é a etapa de estruturação de até 90% do cérebro”. Ela reforça ainda que a escola “é o espaço fundamental para que isso aconteça em plenitude”. “Quando se está há 1 ano e meio sem escola, se tira essa possibilidade das crianças”, completa.

Segurança

Independentemente do modelo a ser adotado pelo município, o infectologista Ramiro Tavares aponta que o retorno deve ser envolto de inúmeros cuidados para que se evite uma possível contaminação coletiva. Para o médico, a retomada das atividades presenciais - ainda que de forma híbrida e escalonada - "é um grande desafio para gestores" devido à alta complexidade dos protocolos que devem adotados.

Ele enumera pontos importantes como o uso regular de máscara, higienização frequente das mãos, distanciamento e o não compartilhamento de materiais escolares e lanche, como medidas que devem ser adotadas no âmbito escolar. 

Germana Brito, secretária da Educação do Crato, considera que a retomada em seu Município ocorrerá de forma segura "para alunos e todos os agentes envolvidos no ensino" - professores, diretores e demais funcionários.

[o modelo] Traz segurança. As escolas estarão longe da capacidade total e, portanto, não haverá aglomeração. Ademais, preparamos as escolas para que os alunos disponham de álcool em gel, máscaras que serão doadas e também vamos garantir o distanciamento"
Germana Brito
Secretária da Educação de Crato

O retorno híbrido e escalonado adotado em Crato limita a quantidade de alunos em 50%. A partir do dia 22, o número de turmas atendidas será expandida. "Em 15 dias vamos expandir esse modelo para mais turmas, também respeitando o escalonamento e limite de 50% por turma", pontua. 

Germana reforça que, embora considere o modelo "viável", ele será observado nas próximas duas semanas para "avaliar os resultados e atestar se tudo estar acontecendo conforme previsto". Crato tem hoje 18.743 alunos matriculados na rede municipal de ensino. "Temos que ir avançando passo a passo para contemplar todos os alunos e garantir um aprendizado exitoso", concluiu a secretária da Educação. 

"Perpetuação de viroses"

O infectologista Ramiro Tavares reconhece a importância da retomada das aulas, sobretudo na educação infantil, mas ressalta que ela deve ocorrer junto aos protocolos de seguranças para que não haja risco de adoecimento coletivo.

As escolas são espaços de convivência entre crianças e isso sempre foi um fator consagrado de perpetuação de viroses respiratórias e condições infecciosas. Portanto, nestes ambientes, os cuidados devem ser redobrados.
Ramiro Tavares
Infectologista

A orientação de redobrar os cuidados mantém-se válida mesmo com a comprovação de que as crianças têm menor potencial de desenvolverem casos graves. "Há um comprometimento social com essas crianças e, além disso, preservando a saúde delas, estamos reduzindo o risco de infecção de pais, tios, avós e demais familiares", acrescenta Ramiro. 

Medidas não farmacológicas de proteção:

  • Utilizar máscara em período integral;
  • Higienizar as mãos com regularidade;
  • Manter distanciamento entre as cadeiras;
  • Não compartilhar materiais escolares ou lanche;

Para além desses cuidados, Ramiro destaca que somente a vacinação em massa trará resultados efetivos no combate à pandemia.

"A vacina é a principal proteção frente ao vírus. Contudo, até que ocorra uma ampla cobertura vacinal da população, os cuidados devem ser mantidos. A vacinação tem nos passado a visão de que a pandeia perde seu folego, ainda assim, os cuidados, mesmo com os vacinados, devem ser mantidos", conclui Tavares. 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará