TSE conclui teste com urnas eletrônicas e confirma segurança de votação para Eleições 2022

Corte confirmou que os investigadores não conseguiram alterar nenhum voto, mudar o resultado da urna ou fraudar o processo eleitoral

Urnas eletrônicas Eleições 2022
Legenda: A solução do TSE foi validada pela Polícia Federal
Foto: Thiago Gadelha

Foram concluídos os testes públicos de segurança nas urnas eletrônicas que serão usadas nas Eleições 2022, anunciou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta sexta-feira (13).

Conforme informações do TSE, a Corte Eleitoral confirmou que os investigadores não conseguiram alterar nenhum voto, mudar o resultado da urna ou fraudar o processo eleitoral.

Investigações

A primeira rodada dos chamados "testes de confirmação" começaram na última quarta-feira (11), etapa em que os investigadores que apontaram falhas no primeiro exame, em novembro de 2021, voltaram ao tribunal para averiguar se os erros haviam sido solucionados.

Investigadores, hackers, programadores, representantes de universidades e peritos da Polícia Federal integraram a equipe de investigação dos primeiros testes, em novembro do ano passado. Neles, especialistas em tecnologia da informação tentaram identificar possíveis falhas de segurança ao acessar o sistema das urnas.

Segurança

Apesar de o risco de segurança ter sido descartado, o TSE informou ter corrigido algumas falhas já apontadas pelo teste de novembro. Nesta sexta, os equipamentos já foram atualizados após uma revisão dos investigadores.

Ainda segundo o Tribunal, todos os investigadores foram unânimes em afirmar que as Eleições Gerais de 2022 serão seguras. A solução do TSE foi validada pela Polícia Federal.