Eduardo Girão pede que Camilo tire o Ceará do Consórcio Nordeste

O senador cearense diz que o Estado tem prejuízo no Consórcio, e pede transparência do governo

Legenda: Senador fez críticas ao Consórcio Nordeste
Foto: Divulgação

O senador Eduardo Girão (Podemos) enviou ofício para o governador Camilo Santana (PT), na última segunda-feira (11), pedindo que o Ceará deixe de integrar o Consórcio Nordeste — que, segundo ele, "se tornou símbolo nacional de corrupção nessa pandemia".

O parlamentar cearense aponta "prejuízo" de R$ 48,7 milhões no episódio da aquisição de respiradores quando foi formalizado contrato entre o Consórcio e a Hemcare Pharma. No ofício, Girão diz que "as investigações sobre esse contrato, no qual foram detectadas uma série de ilegalidades, avançam a cada dia no sentido de responsabilizar os culpados".

O senador diz ainda que "é um acinte ao povo cearense que, mesmo diante desse escândalo, o Ceará continue fazendo parte do referido consórcio, gastando anualmente R$ 1.350.908,00 para o pagamento com folha de pessoal e despesas de custeio".

O Governo do Estado foi procurado para confirmar recebimento do ofício, mas ainda não respondeu.

O Consórcio Nordeste foi fundado em 2019 e tem como atual presidente o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). O grupo de governadores atua administrativamente e politicamente em diversos temas de interesse da região.