Ato em Recife pede justiça para menino que morreu enquanto estava aos cuidados da patroa da mãe

Miguel morreu ao cair do 9º andar de prédio na capital de Pernambuco; Sari Côrte, patroa da mãe do menino, deixou que ele entrasse no elevador sozinho para que o menino fosse procurar a mãe

Fotografia
Legenda: Manifestantes deitaram no chão simulando o corpo do menino, após cair do 9º andar
Foto: Reprodução/Twitter

Pedindo justiça para a morte de Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, manifestantes realizaram ato na frente do prédio de Sari Mariana Côrte Real, a patroa da mãe do menino, em Recife, capital de Pernambuco, na tarde desta sexta-feira (05). 

> Fátima Bernardes chora durante entrevista com Mirtes Renata, mãe de Miguel

Miguel caiu do 9º andar de um prédio na última terça-feira (2), quando estava sob os cuidados de Sari, enquanto sua mãe passeava com o cachorro dos empregadores. A patroa chegou a ser presa por homicídio culposo, mas pagou fiança de R$ 20 mil e está respondendo em liberdade

O ato teve início por volta das 14h desta sexta-feira na frente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), os manifestantes caminharam até o prédio da patroa de Mirtes Renata, mãe de Miguel, e levavam cartazes com frases antirracistas e pedindo justiça pela morte. Além disso, soltaram balões pretos nos arredores do edifício.

"Vidas negras importam", "crime da burguesia branca", "cinco unhas valem mais do que cinco anos de um preto?", eram algumas das frases que estampavam os cartazes. Os protestantes deitaram no chão para simular o corpo do menino após cair do 9º andar do prédio e gritavam "eu só queria a minha mãe", fazendo referência ao pedido do garoto. 

Sari Côrte é mulher do prefeito da cidade de Tamandaré, em Pernambuco, Sérgio Hacker. A mulher estava com uma manicure, fazendo as unhas no apartamento, quando deixou o menino Miguel entrar sozinho no elevador e apertou o botão do último andar para que ele fosse procurar a mãe.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados