Fortaleza registra, em março, inflação de 2,62% na cesta básica, segundo levantamento do Dieese

O gasto com alimentação de uma família padrão (2 adultos e 2 crianças) foi de R$ 1.425,33

Legenda: Tomate foi o produto maior aumento de preço na cesta básica em Fortaleza, segundo o Dieese

Em março, o conjunto dos 12 produtos que compõem a cesta básica de Fortaleza registrou inflação de 2,62%. A alta nos preços de dez dos doze produtos da cesta básica fez com que um trabalhador, para adquirir os produtos, respeitadas as quantidades definidas para a composição da cesta, tivesse que desembolsar R$ 475,11. Considerando o valor e, tomando como base o salário mínimo vigente no País de R$ 1.045,00 (valor correspondente a uma jornada mensal de trabalho de 220 horas), pode-se dizer que o trabalhador teve que desprender 100h01minutos de sua jornada de trabalho mensal para essa finalidade. O gasto com alimentação de uma família padrão (2 adultos e 2 crianças) foi de R$ 1.425,33.

Os alimentos que compõe a cesta básica são: carne, leite, feijão, arroz, farinha, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo e manteiga.

Vilões

A inflação nos preços da cesta básica foi influenciada pela alta de dez produtos da cesta, dos quais destacam-se: o tomate (10,03%), o feijão (4,34%) e o óleo (2,80%). Foram observadas quedas em apenas dois produtos: a carne (-1,39%) e a farinha (-0,31%).

No semestre, dos produtos que compõem a cesta básica, nenhum item sofreu redução no preço. Os itens que apresentaram as maiores elevações foram o tomate (116,01%), o feijão (35,52%) e a carne (18,58%). Apenas o preço de café manteve-se estável.

Na série de 12 meses, dos produtos que compõem a cesta básica, os que sofreram reduções nos preços, foram o feijão (-23,38%) e o café (-6,74%). Dos itens que apresentaram elevação nos seus preços, destacam-se a carne (18,84%), o óleo (14,55%) e o leite (12,57%).