Dólar chega a R$ 4,65 em casas de câmbio; aumentam remarcações em viagens internacionais

Corretoras de câmbio em Fortaleza estão operando com o valor médio do dólar em R$ 4,65 para compras à vista. O Euro, por sua vez, está sendo comercializado por R$ 5,11

Escrito por Redação,

Negócios
Foto: Agência Brasil

Com a chegada do surto de coronavírus à outros países fora da China, principalmente à Europa, consumidores já começam a rever os planos. A disparada da cotação do dólar e do euro complicam a situação.

Incluindo o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), as corretoras de câmbio em Fortaleza estão operando com o valor médio do dólar em R$ 4,65 para compras à vista. O euro, por sua vez, está sendo comercializado por R$ 5,11, em média, nas agências.

> Dólar abre com alta de 0,6% e atinge R$ 4,50; Bolsas europeias caem

 No Ceará, as pessoas que tinham viagens marcadas para o exterior já acionam agências de turismo sobre procedimentos para remarcar as viagens.

"Na remarcação, principalmente nas viagens internacionais, as agências cobram uma taxa do passageiros aumentando assim, o valor da viagem', diz o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens no Ceará (Abav-CE), Colombo Cialdini. 

É o caso da dona-de-casa Luíza França Ribeiro e o marido Flávio tinham agendado um cruzeiro para a Itália no mês de março, mas estão repensando. "A gente marcou a viagem no ano passado, mas estamos esperando o posicionamento das autoridades sobre um possível cancelamento com a devolução do valor pago. Se não for cancelado, talvez tenhamos que adiar, até porque o Flávio já está gripado", aponta. 

A cotação das moedas também preocupa o casal. "A gente se programou, tem uma reserva, mas é possível que tenhamos que comprar mais [dólar], diz dona Luíza.

Recomendações De todo modo, as recomendações dos serviços de saúde do Brasil e de outros países é de que idosos e pessoas que já tenham alguma doença redobrem a atenção, pois, caso se infectem com o novo vírus, a chance de desenvolverem infecções graves é maior.

Além disso, é recomendável que os turistas verifiquem com cuidado os valores de seus seguros de viagem, garantindo a cobertura de serviços de internações e gastos farmacêuticos. Por causa do surto de coronavírus, a tendência é que alguns seguros fiquem mais caros.

Sobre a alimentação, alguns países tem alertado visitantes para para que evitem pratos que possam ter vetr de contaminação, como carne crua ou mal-passada, incluindo carne de porco, vaca e pratos com carne de pato – muito tradicional na China.

Por fim, há a recomendação de que, caso o turista perceba algum sintoma que se pareça com resfriado ou gripe, se isole imediatamente e procure ajude médica.