Com surto de Covid-19 em navios, temporada de cruzeiros de Fortaleza já tem um cancelamento

O Club Med 2, que iria atracar na Capital em 27 de janeiro, suspendeu a operação prevista ainda antes da recomendação da Anvisa

Escrito por Redação,

Negócios
cruzeiro Club Med 2
Legenda: O cruzeiro em questão é o Club Med 2 e iria passar pela Capital em 27 de janeiro.
Foto: Divulgação

O recente surto de casos de Covid-19 em cruzeiros que navegavam pela costa brasileira neste fim do ano levou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a recomendar a suspensão temporária da temporada 2021-2022.

Um dos cinco navios previstos para atracar no Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza foi cancelado.

O cruzeiro em questão é o Club Med 2, que iria passar pela Capital em 27 de janeiro, e comunicou o cancelamento no dia 23 de dezembro.

Os outros quatro navios, previstos para março e abril, seguem confirmados, por enquanto.

Em nota, a Companhia Docas do Ceará, que administra o terminal, informou que "seguirá a determinação dos órgãos competentes (Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa – e do Ministério da Saúde) em relação à temporada de cruzeiros 2021-2022 no país".

A entidade ainda reforça "a importância de preservar a saúde de todos, sejam operadores ou turistas, diante do novo cenário epidemiológico".

Ainda assim, os outros quatro navios previstos para atracar em Fortaleza em março e abril seguem confirmados até o momento.

"Lembrando que o cenário poderá ser alterado a partir de novas decisões dos órgãos competentes", acrescenta o comunicado.

Veja lista com navios e datas ainda confirmados:

  • 09/03: Ocean Explorer
  • 18/03: MSC Splendida
  • 23/03: Norwegian Star
  • 04/04: Silver Cloud

Antes do cancelamento do Club Med 2, a expectativa da Companhia Docas do Ceará era que cerca de 4.819 turistas desembarcassem na cidade, além de 2.156 tripulantes.

Surto de Covid-19

Após quase dois anos de paralisação, o setor de cruzeiros retomou as atividades neste fim de ano, mas sofre novas dificuldades em função da pandemia.

Cinco navios estão atracados na costa brasileira com pelo menos 400 casos já registrados de covid-19, segundo a Clia Brasil, braço nacional da entidade global de operadoras de cruzeiros.

O número representa cerca de 0,3% dos 130 mil passageiros e tribulantes embarcados desde o início da temporada, em novembro, mas foi o suficiente para a Anvisa recomendar uma nova suspensão das atividades.

A orientação foi emitida na última sexta-feira (31) após dois navios, o MSC Splendida, atracado no Porto de Santos, e o Costa Diadema, atracado em Salvador, interromperem as atividades devido aos casos confirmados.

Segundo a Anvisa, dados apontam que a variante Ômicron tem o potencial de se espalhar mais rapidamente do que outras variantes e que a proteção imunológica de vacinas e de casos anteriores de covid-19 pode não ser tão efetiva.

A recomendação da Anvisa também considerou que as dificuldades impostas pelos entes locais diante da necessidade de eventuais desembarques de casos positivos para covid-19 em seus territórios.

"A manifestação da agência foi pautada no princípio da precaução, ao priorizar o impedimento da ocorrência de agravo à saúde pela adoção das medidas necessárias à sua proteção", disse em nota a agência.

A entidade ressalta, porém, que a recomendação não afeta ainda as operações de navios de cruzeiro. "Até decisão final do grupo de ministros, as operações seguem, como regra geral, autorizadas, submetidas às regras sanitárias vigentes", diz a nota.