Cabo Monet deve iniciar operação até outubro

A Angola Cables está finalizando a construção do equipamento, que interligará Fortaleza, Santos e Miami

Legenda: A Praia do Futuro será um dos pontos de conexão do cabo de fibra ótica South Atlantic Cable System, que interligará Fortaleza a Luanda
Foto: Foto: Natinho Rodrigues

Em processo de instalação na Praia do Futuro pela empresa de telecomunicações Angola Cables, a estação do cabo submarino de fibra ótica Monet está em fase final de construção e deverá começar a operar no próximo mês de setembro ou outubro, quando também haverá uma solenidade oficial para marcar a inauguração do equipamento. O cabo interliga as cidades de Fortaleza (CE), Santos (SP) e Miami (Estados Unidos).

A informação foi divulgada ontem (24) pelo CEO da Angola Cables Brasil, Rafael Pistono, que participou de evento realizado no Hotel La Maison, na Capital cearense. O "CIO Fórum - A Inovação como fator de sobrevivência e vantagem competitiva" foi organizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham) Fortaleza e reuniu especialistas e empresários ligados ao setor de tecnologia.

"Estamos otimistas, dentro do nosso cronograma, em total alinhamento com as empresas parceiras e com os governos federal, estadual e municipal", afirmou Pistono, destacando que o projeto "será um importante canal de interconectividade, promovendo inúmeros serviços e produtos". Em relação ao cabo Monet, a Angola Cables já tem parcerias firmadas com provedores, que vão comercializar a conexão da empresa ao consumidor final.

De acordo com Pistono, os nomes das companhias ainda estão sendo mantidos em sigilo por questões de competitividade e só deverão ser anunciados na inauguração do empreendimento, projeto da Angola Cables (com duas fibras no cabo) juntamente com a Google (duas fibras), Antel (uma fibra) e Algar Telecom (uma fibra).

Sacs

A Praia do Futuro também será um dos pontos de conexão do cabo de fibra ótica submarino Sacs (Soth Atlantic Cable System), que interligará Fortaleza a Luanda, capital da Angola.

O equipamento deverá começar a operar no segundo semestre de 2018. Além do Monet e do Sacs, cujos aportes são da ordem de US$ 110 milhões e US$ 160 milhões, a Angola Cables está investindo também US$ 30 milhões em Fortaleza.

O montante engloba a construção de duas estações para abrigar os cabos, o data center e a compra de equipamentos. Quanto ao data center, o prazo previsto para operação é primeiro semestre de 2018.

O Monet possui 10,6 mil quilômetros de extensão e capacidade de transmissão máxima de 60 terabits por segundo (Tbps). Já o cabo Sacs tem capacidade de transmissão de 40 Tbps e deverá ser o primeiro cabo submarino do Atlântico Sul que ligará Fortaleza a Luanda, com 6 mil quilômetros. O equipamento irá transmitir informações em, 63 milissegundos, velocidade equivalente a um "piscar de olhos".

Huawei

Em dezembro do ano passado, a Capital atraiu o nono cabo de fibra óptica para a cidade. O investimento é da multinacional chinesa de telecomunicações Huawei. A instalação do Cabo South American Inter Link (SAIL), que ligará Fortaleza à cidade de Kribi, no Camarões, tem previsão de iniciar as operações ainda em 2017.

tab

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios