Em julgamento, Johnny Depp acusa Disney de expulsá-lo de Piratas do Caribe

Ator diz que estúdio o demitiu após vir à tona as acusações de violência doméstica por parte da ex-esposa, Amber Heard

Escrito por Diário do Nordeste/AFP ,

Zoeira
Jack Sparrow
Legenda: Johnny Depp diz que Disney o demitiu de Piratas do Caribe
Foto: Reprodução

Ao concluir o interrogatório no julgamento por difamação contra Amber Heard nesta segunda-feira (25), o ator americano Johnny Depp afirmou que a Disney o demitiu da franquia Piratas do Caribe, na qual ele interpretava o personagem Jack Sparrow. As informações são do Uol.

Segundo o astro, seu afastamento se deu após virem à tona as acusações de violência doméstica por parte da ex-esposa, evidenciadas em um artigo de opinião publicado no jornal The Washington Post, em dezembro de 2018. Ele revelou que o estúdio não permitiu seu retorno para futuras produções da saga depois disso. 

"Minha sensação era de que esses personagens deveriam poder se despedir adequadamente. Existe uma maneira de acabar com uma franquia como essa. Eu planejava continuar até a hora de parar", declarou Depp. 

O quinto e último filme lançado pela franquia foi 'Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar', em 2017. O ator disse ter cogitado fazer parte do time de roteiristas da sequência, mas a produção foi engavetada desde as denúncias de violência doméstica.

Vício em álcool

Na época, chegou a ser revelado que o vício em álcool e os problemas financeiros de Depp motivaram sua demissão. O astro alegou, no entanto, não ter conhecimento dessas acusações: "Eu não me surpreendo. Tenho certeza de que a Disney estava tentando cortar os laços por segurança", disse. 

Os advogados de Heard perguntaram muito a Depp sobre seu consumo de drogas e álcool durante os três dias em que ele se sentou no banco dos réus.

"Se alguém teve um problema com minha forma de beber, em algum momento da minha vida, fui eu", disse. "A única pessoa de quem abusei na minha vida foi de mim mesmo". 

O advogado de Heard, Ben Rottenborn, também tentou convencer o júri de sete pessoas que acompanha o caso que as acusações contra Depp eram anteriores ao artigo no The Washington Post

Ordem de restrição

Rottenborn destacou que Heard havia apresentado uma ordem de restrição temporária contra Depp em Los Angeles em maio de 2016, na qual alegou abuso e citou várias manchetes jornalísticas.

Depp respondeu que todas estas notas tentavam influenciar a opinião pública, apresentando informação falsa ou enviesada. Também diminuiu a importância da linguagem dura que usou para descrever Heard em mensagens de texto enviadas a vários amigos.

Johnny Depp finalizou o testemunho reforçando sua inocência e alegando ser a verdadeira vítima do relacionamento. A partir desta terça-feira (26), o tribunal ouvirá o depoimento de Amber.