Saiba o que estudar sobre a pandemia da Covid-19 para o Enem 2020; confira lista

Adiada para o início do ano que vem, próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio soma mais de 325 mil inscritos no Ceará

Legenda: Virologia está entre os assuntos relacionados à pandemia da Covid-19 que podem cair no Enem 2020
Foto: Shutterstock.

Já é praxe ver professores e alunos lançarem, a cada ano, suas apostas e convicções sobre o que deve ou não cair no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), hoje a principal forma de acesso ao ensino superior no Brasil.  

No Ceará, mais de 325 mil alunos estão inscritos para participar do próximo exame, adiado de novembro deste ano para o início de 2021 devido à pandemia da Covid-19

Por sua atualidade e relevância no mundo inteiro, o surgimento do novo coronavírus (SARS-CoV-2) pode entrar na lista de itens do Enem. Seja de forma direta ou mesmo indireta, avaliam professores consultados pelo EducaLab.   

“[O assunto] pode ser cobrado tangencialmente na prova de Ciências da Natureza, em questões sobre vírus e Saúde Pública, mas de forma superficial e mais abrangente", estima o coordenador e professor do Academia Enem, Fábio Frota. Segundo ele, Saúde Pública também pode, inclusive, ser visto como tema da redação. 

'Incógnita'

Já para o professor de Biologia do curso Pré-Vestibular Sesc Fortaleza, Hinácio Mahybe, "o Enem é uma grande incógnita porque utiliza um banco nacional [de itens] e esse banco foi feito pela última vez em 2012. Se a nova organização fizer questões com temais atuais, Covid-19, pandemia, [rompimento da barragem em] Brumadinho, a chegada da zika e chikungunya são assuntos que podem vir a ser cobrados. Mas se utilizarem o banco de 2012, pode ser que nada disso esteja no Enem”.  

Como ainda não há confirmação se o banco de questões a ser adotado na formulação das provas do Enem 2020 passará ou não por atualizações, o aluno deve estar preparado para encarar todas as possibilidades. Por isso, Mahybe orienta aos alunos que estudem não somente a atual pandemia como também assuntos atrelados a ela.

“A banca pode cobrar questões que envolvam virologia, ou seja, abordar outras doenças causadas por vírus. A regra é que, se o aluno sabe os sintomas do vírus, a profilaxia, ele consegue basicamente acertar qualquer questão porque a forma como ela é perguntada é a mesma", garante o professor.  

Repercussões 

Para além de compreender os diversos contextos de surgimento, transmissão, sintomas e métodos de combate às doenças virais, é importante saber quais foram as suas “repercussões políticas, econômicas, sociais e principalmente culturais”, orienta o professor de História, Paulo Alexandrino.  

O aluno ainda deve conseguir diferenciar “pandemia, epidemia e endemia, numa relação interdisciplinar entre História, Biologia e Química”, acrescenta.    

Quer saber mais especificamente o que estudar sobre a pandemia para o Enem 2020? Confira lista de dicas preparada pelo EducaLab, com o auxílio de professores:

Em Biologia

Foto: Lincoln Souza

  • Virologia (características dos vírus, de um modo geral. Como eles atacam e se reproduzem nos organismos das pessoas. Principais doenças causadas por vírus: Covid-19, sarampo, poliomielite, etc. Como ocorre a transmissão e quais as medidas de prevenção contra essas doenças);  
  • Saúde Pública;
  • Diferença entre Covid-19 (nome da doença), SARS-CoV-2 (vírus, agente etiológico) e coronavírus (família de vírus a qual ele pertence); 
  • Diferença entre surto, epidemia, endemia e pandemia.  

Em História 

  • Contextos de surgimento, transmissão, sintomas e métodos de combate das doenças que mais impactaram o curso da História. Qual suas repercussões políticas, econômicas, sociais e principalmente culturais. Ex.: Praga de Justiniano, um dos primeiros casos de pandemia registrados na História; Peste Negra; Gripe Russa; Gripe Espanhola; Gripe Suína (H1N1); Tifo; Varíola; Aids; Covid-19.   

Em Matemática  

Foto: Lincoln Souza

  • Função exponencial e função logarítmica. Ambas podem ser cobradas principalmente para mostrar o crescimento e achatamento da curva dos infectados por Covid-19;
  • Progressão geométrica;
  • Geometria espacial focando esfera, forma com a qual o vírus se assemelha; 
  • Geometria analítica, em alusão ao distanciamento social;  
  • Probabilidade; 
  • Estatística; 
  • Razões e porcentagens;
  • Interpretação de gráficos e tabelas.  

Em Física 

  • Corrente elétrica e circuito elétrico, a partir da eletricidade necessária ao funcionamento do respirador pulmonar (ventilador mecânico) no tratamento da Covid-19;  

Foto: Lincoln Souza

  • Pressão hidrostática, tendo em vista o movimento necessário para empurrar o ar até os pulmões.

Em Geografia 

  • Conceito de Globalização (disseminação do vírus, que se espalhou da China para todo o mundo); 
  • Cartografia (processo de espacialização da pandemia. Ex.: Comportamento da pandemia nos estados brasileiros);
  • Desigualdades regionais no Brasil (Entender, a partir da pandemia, sobre as desigualdades regionais do Brasil. SP é a cidade mais rica e registra mais casos de Covid-19, mas as maiores taxas de letalidade estão nas regiões Norte e Nordeste); 

Foto: Lincoln Souza

  • Geografia urbana e as desigualdades socioespaciais (o vírus chegou ao Brasil de avião, por meio da classe média alta do país e, em seguida, atingiu a periferia).   

Em Química 

  • Composição dos produtos antissépticos (álcool em gel, sabões, detergentes e hipoclorito). Como tais produtos atuam combatendo o vírus; 
  • Solubilidade de compostos orgânicos;
  • Bioquímica celular;
  • Funções químicas;
  • Concentração de soluções;
  • Agentes oxidantes e redutores;

Foto: Lincoln Souza

  • Composição polimérica dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);
  • Sinalização em biossegurança;
  • Análise das cadeias carbônicas;
  • Funções de medicamentos como cloroquina, dexametasona e azitromicina. 

Em Filosofia e Sociologia 

  • Conceito de Anomia social (Émile Durkheim);
  • Profecia autorrealizável (Robert Merton);
  • Liquidez das relações (Zygmunt Bauman);
  • Sociedade disciplinar (Michel Foucault );
  • Ascetismo (Diógenes de Sínope).

Na redação 

Foto: Lincoln Souza

  • Estrangeirismos (como são grafados no nosso idioma. Lockdown, por exemplo, precisa estar entre aspas na redação);  
  • Utilização de novos vocábulos (como os novos vocábulos estão sendo utilizados e inseridos nos diferentes contextos sociais, a partir das notícias rotineiramente veiculadas);  
  • Fake News, uso de dados para manipulação do comportamento do usuário, proteção de dados e as mudanças na forma da sociedade se relacionar a partir do uso mais intensivo da internet. (temas podem vir à tona, considerando a profusão de eventos online, vídeochamadas e outros recursos tecnológicos adotados durante a pandemia);
  • Internet x eleições (novo contexto político gerado pela pandemia, local e globalmente); 
  • Saúde Pública;
  • Geografia urbana e as desigualdades socioespaciais.

Fontes: Colégio Provecto, Sesc Fortaleza e Academia Enem.

Você tem interesse em receber mais conteúdo do EducaLab?