2º semestre

Primeiras férias com hub devem gerar renda de R$ 1,8 bi no Ceará

01:00 · 30.06.2018 por LÍgia Costa - Repórter

Sinônimo de descanso e diversão para muitas famílias em todo o Brasil, julho - mês de férias escolares - promete movimentar o Ceará, que vai receber no período 440 mil turistas e obter, a partir dessas visitas, uma renda de R$ 1,82 bilhão. É o que estima a Secretaria do Turismo do Ceará (Setur). O montante é 14,35% maior que o valor registrado em igual período do ano passado, quando a renda gerada chegou à casa de R$ 1,59 bilhão.

O incremento de 14,35% é o mesmo verificado na receita turística prevista para o Estado no período, em relação a julho de 2017. A receita deve saltar de R$ 912 milhões para R$ 1,04 bilhão. A receita turística, conforme indica a Setur, é obtida pelo produto entre a demanda turística e o gasto per capita.

Tempo de oportunidades

O aumento do número de visitantes já vem mobilizando diversos setores econômicos de Fortaleza, como bares, restaurantes e barracas de praia, locais onde os trabalhadores podem encontrar a oportunidade de um emprego temporário. Inclusive, o Sistema Nacional de Emprego/Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (Sine/IDT) espera ofertar cerca de 2 mil vagas temporárias no período, especialmente na área de serviços, a mais impulsionada em épocas de alta estação.

arte
Também otimistas, os shoppings preparam uma programação diferenciada para receber os clientes. A aposta de público são as crianças e os torcedores da Copa do Mundo da Rússia.

Vender mais

No comércio, a perspectiva é positiva. Apesar da crise de abastecimento, provocada pela greve dos caminhoneiros, as lojas já estão com estoques prontos para vender mais. Lojistas da Monsenhor Tabosa esperam resultado tão bom, a ponto de se referir ao mês como um "segundo Natal".

Leia ainda:

> Barracas: 50 mil pessoas a mais por semana
> 300 vagas de emprego temporário disponíveis
> Promoções para aquecer as vendas e dobrar faturamento
> Lojistas reforçam estoques e lançam coleções especiais
> Ceará receberá 350 voos extras na alta estação
> Fluxo até 40% maior nos shoppings
 
Hub e dólar a favor

A ambiência positiva se deve principalmente ao início das operações do hub da Air France-KLM e Gol em Fortaleza. Bem como à alta do dólar, que vem levando o viajante brasileiro a preferir circular por destinos do País. "Iniciadas as atividades do hub, várias empresas começaram a ampliar seu quadro. Em maio, o Aeroporto de Fortaleza teve crescimento de 9% na movimentação, mesmo com a greve dos caminhoneiros", afirma o coordenador de Destinos e Produtos Turísticos da Setur, Valdo Mesquita, ressaltando que Fortaleza está hoje conectada a 11 países, com 24 frequências semanais de voos internacionais.

Por conta do aumento de voos, a previsão de crescimento na movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional Pinto Martins de 12,5%. Foram 621 mil pessoas em julho de 2017, número que deve chegar a 700 mil nesta alta temporada.

Aluguel por temporada

Levantamento da Setur também revela que, nessa alta estação, cerca de 1.200 estabelecimentos abriram portas para aluguel por temporada, nos principais corredores turísticos de Fortaleza, como avenida Beira-Mar e Praia do Futuro. 50% do total já está reservado. O parâmetro da pesquisa é o Airbnb, plataforma online voltada para reserva de acomodações e meios de hospedagem.

Hotelaria

Embora a Copa movimente vendas nos bares, restaurantes e comércio, o torneio mundial deve trazer alguns impactos negativos para o setor hoteleiro. A ocupação prevista para este ano deve girar em torno de 70% ou um pouco acima disso. Ficando aquém dos 82% registrados em 2017, calcula o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Eliseu Barros.

Já a Setur prevê para este mês de julho uma taxa de ocupação hoteleira 2,64% maior que em julho do ano passado. Devendo saltar de 79,9% para 82%.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.