'sinalização'

2º hub aéreo se forma com Latam, avalia governador

Companhia volta a dar indícios de interesse em um centro de conexão de voo no NE, ainda que de menor porte

Fraport confirmou a capacidade de o Aeroporto Internacional de Fortaleza suportar mais um centro de conexões de voos, mas disse não estar envolvida na captação de novos voos da Latam
01:00 · 17.04.2018

Quatro meses depois do anúncio do congelamento do plano de implantação de um hub no Nordeste pelo CEO da Latam, Jerome Cadier, que encerrou quase três anos de especulação e disputa entre as cidades de Fortaleza, Natal e Recife, a companhia volta a dar sinais de que pretende implementar pelo menos uma versão menor do equipamento na Capital cearense, o que deve ser anunciado no próximo dia 25, em evento com o governo.

> Juazeiro: consórcios recorrem  em concessão

Ontem, ao ser questionado se os novos voos a serem anunciados pela Latam a partir de Fortaleza sinalizam a intenção de estabelecer um hub na Capital, o governador Camilo Santana disse não ter "nenhuma dúvida disso". O posicionamento foi reafirmado pelo secretário do Planejamento, Maia Júnior, que destacou que a Latam e a Gol estão assegurando 100 voos diários (domésticos) no Aeroporto de Fortaleza com seus projetos.

"Isso é uma coisa extraordinária. A Latam tem em torno de 20 voos e vai subir pra 50. A consolidação disso depende primeiro de os cearenses comprarem passagens aqui e usar essa oferta de voos", aponta o secretário. "O segundo é a amplitude dessa conexão de um hub com outros estados. Na medida em que eu passo a ter essa oferta de voos, que vão conectar a cidade de Fortaleza com o Brasil, eu aumento o potencial de voos internacionais".

De acordo com Maia Júnior, o projeto está sendo iniciado e ainda levará um tempo para que se consolide, a depender das decisões a serem tomadas pelas próprias empresas. "O Estado apenas estimula, tem políticas de incentivo para isso". Atualmente, o Estado concede isenção de ICMS a companhias que operem cinco voos internacionais e 50 domésticos diários em Fortaleza, entre outros benefícios.

Já o secretário Cesar Ribeiro, do Desenvolvimento Econômico, destaca que o Estado está trabalhando de forma efetiva no interesse de ter um grande centro de conexões aéreas. "A Fraport certamente é uma vertente muito positiva e o dever de casa do Estado e Prefeitura está sendo feito em todas as tratativas. Por enquanto, estamos focados na entrega do projeto da Air France/KLM-Gol, com voo inaugural já no próximo dia 3".

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Turismo e com o titular da pasta, Arialdo Pinho, mas o secretário afirmou que só falaria sobre o assunto no dia 25.

Destinos internacionais

Ontem, a Latam informou que "não procedem" as informações divulgadas pela imprensa local de que a empresa iria anunciar a operação de voos para Londres (Inglaterra), Madri (Espanha) e Joanesburgo (África do Sul). "A companhia reitera que apresentará as informações corretas sobre o seu pacote de novos voos domésticos e internacionais para Fortaleza durante evento programado para o dia 25 de abril de 2018", disse em nota.

Como o Diário do Nordeste informou ontem, a companhia solicitou autorização para operar uma terceira frequência para Miami (EUA) a partir de julho, totalizando cinco voos internacionais a partir da Capital (três para Miami e dois para Orlando). Para obter os benefícios, a companhia ainda precisaria aumentar de 32 voos domésticos diários para 50.

Prospecção de voos

Procurada pela reportagem, a Fraport informou que o Aeroporto de Fortaleza tem capacidade para receber um segundo hub com as instalações atuais e que não está envolvida na prospecção de voos da Latam. De acordo com um especialista no setor ouvido pela reportagem, o operador portuário deveria estar lado a lado com o governo na prospecção para entender bem quais os requisitos necessários para atender à companhia.

"Como um operador aeroportuário pode mencionar que possui a infraestrutura desejada se não está envolvido na prospecção destas novas rotas?", questiona. "Se não houver um acompanhamento próximo junto a esse desenvolvimento, muitos problemas (principalmente operacionais) acabarão sendo percebidos no período. Vale lembrar que nos primeiros dois anos de concessão o aeroporto passará por uma intensa lista de obras".

Operações inaugurais

Os primeiros voos da KLM e Joon/Air France serão recebidos com cerimônia de inauguração no Aeroporto. No dia seguinte a chegada das primeiras operações da companhia com destino à Capital cearense, uma coletiva marca a chegada do Grupo a Fortaleza em parceria com a Gol. O evento contará com a presença do governador Camilo Santana e do prefeito Roberto Cláudio, além do CEO global do Grupo Air France-KLM, Jean-Marc Janaillac, do CEO global da KLM, Pieter Elbers, do CEO da Joon, Jean-Michel Mathieu e do CEO da Gol, Paulo Kakinoff.

O que eles pensam

Mais um centro de conexões

"O anúncio de mais voos internacionais em Fortaleza pela Latam é sintoma de que mais voos domésticos da companhia virão para alimentá-los por meio de bancos de conexões, à exemplo do que já foi feito pela Gol. Para verificar a demanda, a companhia aérea deve ter feito um estudo de mercado. Caso contrário, colocar o voo em um mês e o retirar no mês seguinte dá muito prejuízo. Quanto à capacidade, isso estimularia a ampliação do terminal, certamente. Se realmente crescer a demanda, mais área de pátio seria necessária".

Cláudio Jorge Alves
Professor do Laboratório de Transporte Aéreo do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA)

"Se a empresa anuncia mais voos na cidade, há um estudo de viabilidade econômica que ela faz. Ela está apostando no crescimento, tem que resgatar 'market share' perdido. Se cabe ou não dois hubs, as empresas vão dizer. Mas na medida que você vai colocando mais voos, a tendência é que a conectividade vá aumentando e o hub naturalmente surge. É possível ter dois hubs na mesma cidade, ainda mais numa situação de crescimento. Acredito que a tendência é natural que a Latam tente resgatar o que foi perdido ao longo dos anos".

Alessandro Oliveira
Pesquisador do Núcleo de Economia do Transporte Aéreo (Nectar) do ITA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.