Em entrevista no Conversa com Bial, Fernanda Montenegro diz: "Herdei a sorte de não estar gagá"

A atriz contou sobre o processo de construção do livro “Prólogo, ato, epílogo”, lançado em comemoração aos seus 90 anos

Legenda: A atriz completa 90 anos no dia 16 de outubro
Foto: Foto: Reprodução/Instagram

No Conversa com Bial desta-quinta (3), Fernanda Montenegro celebrou seus quase 90 anos junto com a jornalista Marta Góes, colaboradora da biografia “Prólogo, ato, epílogo”, que conta a trajetória da atriz. A obra é resultado de 18 entrevistas feitas em 14 meses, transcritas e editadas pela biógrafa.

Sobre o processo de construção do livro, a jornalista fala sobre o empenho e rigor que Montenegro imprime em seus trabalhos. A atriz justificou: "herdei a sorte de não estar gagá", instigando as palmas da plateia. 

Ao ser questionada pelo apresentador sobre o motivo da biografia, a atriz confirma categoricamente que "foi para os netos". Das histórias contadas no livro, Fernanda lembra dos pais, imigrantes, mas adeptos de muita brasilidade, e sobre a primeira vez que pisou em um palco, aos 8 anos. 

Em relação às difculdades do início da carreira, Montenegro ressalta o preconceito com as profissões artísticas, vivido nos anos 1950, e em decorrência disso, a reação dos pais ao saberem sobre a vocação da filha. “La pelas tantas, eles entenderam. Eu tinha o teatro como ofício e isso nunca deixou de existir. Ser atriz é uma vocação, se você não fizer isso, simplesmente morre”, afirma.

A emoção teve maior evidência quando a conversa se direcionou para o marido da atriz, Fernando Torres, morto em 2008. “Fernando foi o responsável pela felicidade diante da minha vocação de ser atriz. Nunca tive impedimentos. Ele era um companheiro tão, ou até mais, vocacionado do que eu”, diz.

A atriz completa 90 anos no dia 16 de outubro, e por isso, ganhará homenagens durante o mês na programação da Globo, onde trabalha há 40 anos. Na próxima sexta-feira (11), ela estará no Encontro com Fátima Bernardes e, a noite, o Globo Repórter exibirá uma retrospectiva de sua carreira. Na sessão Tela Quente do dia 14, será exibido o filme Central do Brasil, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz em 1998. 

 

 

 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?