Castanha-do-Pará: quais os benefícios e como consumir

Fruto tem alto teor nutritivo e ajuda a prevenir envelhecimento precoce e até câncer

Imagem mostra diversas castanhas-do-pará dispostas sobre uma tigela em cima de uma mesa de madeira.
Legenda: A castanha-do-pará é rica em selênio, um antioxidante bastante poderoso.
Foto: Shutterstock

A castanha-do-Pará, cientificamente chamada de Bertholletia excelsa, é um fruto de alto teor nutritivo, rico em vitamina B, que ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer (mama, próstata e cólon), doenças cardíacas e até doenças crônicas mentais como Alzheimer e Parkinson. Ela nasce da castanheira-do-Pará, ou castanheira-do-Brasil, uma árvore nativa e considerada das mais altas da Floresta Amazônica.

Benefícios da castanha-do pará

Por ser a principal fonte natural de selênio, um antioxidante poderoso, ela ajuda a diminuir a quantidade de radicais livres no organismo, que são moléculas responsáveis por provocar envelhecimento, inflamações e alterações no funcionamento das células.

"A castanha-do-pará é um alimento rico em gorduras que trazem benefício pro nosso corpo se consumidas em quantidades adequadas", define a nutricionista Tatiana Uchôa Passos*, doutora em Saúde Coletiva e coordenadora do curso de nutrição da Estácio Ceará.

Previne envelhecimento e doenças cardíacas 

Por ter selênio e outros componentes como zinco, ômega 3 e vitaminas A, B e E em sua composição, a castanha-do-Pará tem forte ação antioxidante, o que ajuda a prevenir o envelhecimento do corpo e a manter um aspecto mais saudável do cabelo, das unhas e da pele. 

Especialmente as vitaminas A e E, que estimulam a produção de colágeno no corpo, colaboram para deixar a pele firme e leve, favorecendo, também, processos de cicatrização e prevenindo a formação de rugas e acne. 

Outro benefício importante da castanha-do-Pará é o de prevenir doenças cardíacas. Isso acontece porque, juntando o selênio com a vitamina E, são diminuídos os colesteróis ruins no corpo, o que reduz a pressão arterial e a possibilidade de um infarto. 

Além disso, outros componentes como ômega-3, fibras, magnésio, arginina e resveratrol, presentes no fruto, ajudam a circular o sangue no corpo, diminuindo as chances de trombose e outros problemas relacionados à má circulação sanguínea.  

A árvore castanheira-do-pará.
Legenda: A castanheira-do-pará é considerada uma das maiores árvores da Amazônia.
Foto: Shutterstock

Ajuda a emagrecer?

Para que a castanha-do-Pará ajude no processo de emagrecimento, é recomendado consumir com orientação nutricional, de acordo com o valor calórico de cada pessoa.

"A quantidade a ser consumida depende muito do valor calórico individual de cada paciente. Por ser um alimento rico em gordura, não pode ser consumido em excesso. Além das calorias, existe o excesso, também, de alguns nutrientes. E é importante que a gente tenha ingestão variada de nutrientes, não concentrar em um alimento só", explica a nutricionista Tatiana Passos. Além disso, a profissional destaca que nenhum alimento, isoladamente, é capaz de emagrecer alguém.

"Todo processo de emagrecimento necessita de um contexto saudável que permita um déficit calórico. Nenhum alimento isoladamente contribui para o emagrecimento. O déficit calórico leva à perda de peso, mas a perda de peso sustentável depende de mudança de hábitos", pondera a profissional.

No entanto, há algumas recomendações mais genéricas que sugerem a ingestão de uma só castanha-do-pará por dia. Isso porque a quantidade de selênio presente em uma unidade seria suficiente para regular o funcionamento da tireoide, que é a glândula responsável por acelerar ou diminuir o metabolismo do corpo. 

Quando a tireoide não funciona bem, o metabolismo diminui, o que pode estimular o ganho de peso e a retenção de líquido.

Além disso, a nutricionista esportiva Sueli Oliveira** lembra que a castanha-do-Pará "é rica em fibras e ajuda a dar mais saciedade". Sendo assim, geralmente, ela é sugerida em planos alimentares para emagrecimento nos lanches intermediários e na ceia — "aquele lanchinho antes de dormir", diz.

Quais os outros benefícios da castanha-do-Pará? 

Além dos benefícios já citados, a castanha-do-Pará é boa para: 

  • Prevenir doenças crônicas mentais, como Alzheimer e Parkinson, devido à presença dos componentes selênio e zinco; 
  • Prevenir cânceres de mama, cólon e próstata, devido às propriedades antioxidantes; 
  • Fortalecer o sistema imunológico, diminuindo inflamações;
  • Melhorar o funcionamento do intestino;
  • Estimular a memória e o raciocínio lógico.

Malefícios

Em excesso, tudo pode ser ruim. E o mesmo acontece com a castanha-do-Pará. Como o fruto é extremamente nutritivo e gorduroso, o recomendado é consumir até cinco unidades por dia.

Especialistas entendem que uma “superdose”, digamos assim, além de aumentar o consumo de calorias, pode prejudicar a saúde cardiovascular e causar fraqueza muscular e manchas nas unhas. Para se ter uma ideia, comer mais de 50 unidades de castanha-do-Pará pode, inclusive, intoxicar organismo.

"O ideal é um consumo de no máximo cinco unidades e de preferência sem sal", recomenda Sueli Oliveira.

Como consumir

A castanha-do-Pará tanto pode ser consumida crua quanto pode ser misturada a outras frutas, cereais e saladas, por exemplo. 

Algumas receitas utilizam o fruto para produzir sobremesas como sorvetes, tortas, biscoitos e bolos. Outras costumam combinar com arroz, pescados e massas.

Como conservar

Com ou sem casca, a castanha-do-Pará comprada a granel pode ser armazenada em temperatura ambiente, num local seco e fresco, por pelo menos um mês sem ficar ruim. 

Guardar na geladeira é uma opção para quem quer que o fruto dure mais. No entanto, para manter a qualidade, é preciso manter a temperatura e guardar o alimento em recipientes herméticos, que são potes de vidro, aço inoxidável ou plástico que vedam completamente a entrada e a saída de ar. "Assim evita a oxidação das gorduras ou alteração do sabor", explica a nutricionista Sueli.

*Tatiana Uchôa Passos é nutricionista, doutora em Saúde Coletiva, mestre em Saúde Pública e, atualmente, coordena o curso de Nutrição da Estácio Ceará.

**Sueli Oliveira é nutricionista esportiva com especialização em nutrição, metabolismo e fisiologia do exercício. 


Assuntos Relacionados